A Identidade do Cristão

Pr. Cláudio Campi

 

Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus” (Ef 2:19). 

Irmãos, nós estávamos mortos em nossos pecados quando Jesus nos deu vida. Existem pessoas que pensam que estão vivas, mas estão mortas. “E outro dos discípulos lhe disse: Senhor, permite-me ir primeiro sepultar meu pai. Replicou-lhe, porém, Jesus: Segue-me, e deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos” (Mt 8:21,22). A morte já está na pessoa. O que mata não é câncer, bala, acidente. O que mata é a morte. Mas em Cristo, agora temos vida.

Temos a vida de Deus (zõe). Vida abundante. A nossa alma foi regenerada em Jesus Cristo. Ele nos deu vida! Quanto vale esta vida? Vida que não pode perecer? O pecado nos separava de Deus pois Deus não pode contemplar o pecado. Mas agora não, podemos manter comunhão uns com os outros e com Deus. “Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1 Jo 1:7).

Devemos agradecer a Deus pelo que já temos: A vida. Esta vida que não pode ser tirada. Não temos que olhar para o que não temos, mas sim para o que temos. Já estamos no Reino de Deus: Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor, no qual temos a redenção, a remissão dos pecados” (Cl 1:13,14). Já estamos guardados em Cristo (1 Pe 1). Já temos todas as bênçãos celestiais, já somos filhos, já estamos assentados, …. É para isso que temos que olhar. Estas coisas já são realidade embora não tenham ainda se manifestado. Mas vão se manifestar. É questão de tempo.

Um bebê em gestação já existe, já tem vida, embora não tenha nascido e não pode ver o mundo. Da mesma forma, existe crente que ainda não nasceu de novo, que não vê e nem entra no Reino de Deus, porque não sabe usufruir destas verdades eternas. Cristianismo não é religião, mas regeneração no Reino de Deus. Quem já nasceu do Espírito Santo pode ver e entrar no reino de Deus (Jo 3:5). Antes de sermos filhos de Deus éramos filhos da desobediência, filhos da ira. Todos andávamos segundo nossas inclinações da carne. Nosso coração é enganoso, brinca com a gente dizendo que somos bons, que todos são filhos de Deus, que todos os caminhos levam a Deus, etc.. Não é verdade! Filho de Deus é quem morreu para o mundo e nasceu de novo, quem foi regenerado na ressurreição de Cristo.

Os ímpios precisam enfrentar a verdade cara a cara para saber quem são e para onde estão indo. Doença terminal, muitas vezes é uma bênção na vida daqueles que estão sendo enganados ou que têm coração duro. Quando tomam contato com a morte iminente são quebrantados e buscam conhecer a verdade e assim são salvos.

Jesus é a fonte da vida. Quem crê em Cristo morre com ele na cruz do calvário e é regenerado na sua ressurreição. E com isso Deus nos faz concidadãos do céu. Aleluia! Já não somos estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos. E mais que isso: Passamos a fazer parte da família de Deus. É muito privilégio! Glória a Deus! A vida cristã é fundamentada no conhecimento de quem nós somos. Paulo orava de joelhos para que a Igreja compreendesse estas verdades: “Por esta causa, me ponho de joelhos diante do Pai, de quem toma o nome toda família, tanto no céu como sobre a terra, para que, segundo a riqueza da sua glória, vos conceda que sejais fortalecidos com poder, mediante o seu Espírito no homem interior; e, assim, habite Cristo no vosso coração, pela fé, estando vós arraigados e alicerçados em amor, a fim de poderdes compreender, com todos os santos, qual é a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais tomados de toda a plenitude de Deus” (Ef 3:14-19)

Nós, os cristãos, temos vida eterna e plena; somos cidadãos dos céus; somos filhos de Deus. Fazemos parte da família de Deus; somos a noiva de Cristo, a Sua Igreja

Mas estas bem-aventuranças não estão reservadas somente a nós. Deus fez isso para todos! Qualquer um pode ter estas bênçãos. É só desejar de todo o coração e pedir a Deus. Cristianismo não é religião. É uma pessoa. E que pessoa! Ninguém pode se queixar de Deus. Jesus, o Filho amado, o Unigênito de Deus nasceu pobre, viveu pobre e em lugar humilde, sofreu e morreu injustamente, sem nunca ter saído de sua boca uma única palavra impura, uma única murmuração. Não devemos murmurar em hipótese alguma. Ao contrário, devemos fazer de todo o ano, o ano da gratidão! Murmuração apaga o Espírito em nós. Gratidão traz avivamento. “Em tudo, dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. Não apagueis o Espírito” (1 Ts 5:18,19).

Os anjos, arcanjos, querubins e serafins sabem quem somos. Desejar ver anjos é um desejo infantil, pois somos superiores aos anjos. Admirar o poder e a majestade de anjos é infantilidade. Vamos ser recebidos no céu tendo plena consciência de quem somos e todo o céu, todos os seres celestiais também saberão quem nós somos, tal é a grandeza que nos está reservada. “Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus” (Ef 2:19).

 

Em Cristo, somos:

 

  1. Cidadãos do céu, com todos os direitos que o Reino (de puro amor) nos assegura;

  2. Filhos de Deus, com todos os privilégios e heranças que um filho da autoridade suprema possui;

  3. A Noiva de Cristo, para reinar com todas as honras da posição única e exclusiva decorrente da fidelidade do Deus de amor;

e se não bastasse tudo isso, ainda temos

Vida eterna, plena e abundante, para gozar desses direitos, privilégios, heranças e honra inesgotáveis e incorruptíveis à nossa disposição.

Por isso a Palavra de deus diz: “Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam” (1 Co 2:9)

A igreja é o ápice do plano de Deus. É o ápice de tudo. A Igreja é a Noiva de Cristo! Glória a Deus! Aleluia! A maior descoberta de toda a Escritura, desde o seu início, foi a revelação de que nós somos a Igreja de Cristo. Somos a Noiva! Jesus deu a Sua vida para provar o quanto Ele ama a sua Noiva, a sua Igreja! E seguramente, as portas do inferno não prevalecerão contra esta Igreja!

Graças a Deus por Jesus Cristo!

Fonte: www.aleluia.com.br

http://www.aleluia.com.br/2002/?section=articles&id=3686

2 opiniões sobre “A Identidade do Cristão”

Escreva seu Comentário ou pergunta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s