A submissão da mulher

Pergunta:

 

Até que ponto a mulher tem que ser submissa ao homem? Érica Farias

Resposta:

 

A submissão da esposa ao marido tem que ser incondicional, assim como a Igreja está submissa incondicionalmente a Jesus. O marido é o cabeça da esposa. Jesus é o cabeça da Igreja. Mas, assim como a esposa é uma figura da Igreja, também o marido é uma figura de Jesus. Por isso, é obrigação do marido submeter-se à ação do Espírito Santo para que seu caráter seja transformado e se torne à semelhança do caráter de Cristo.

Hombridade e semelhança a Cristo são sinônimos.

Quando o marido está agindo dentro da vontade de Deus, obedecendo à Palavra de amar a esposa, respeitá-la, tendo consideração para com ela, amparando-a, orando por ela como um sacerdote, provendo tudo o que ela necessita, a esposa não tem problema com a submissão. Ela se sente protegida.

Mas, quando o marido não anda nos caminhos de Deus, mas pelo contrário, é um péssimo marido, então a esposa é obrigada a prover-se a si própria. Neste caso a submissão é condicional tem que ser somente naqueles tens que não contrariam a Palavra de Deus. Exemplo: se o marido quer praticar, junto com ela, atos pecaminosos ou pecar contra Deus, ela não deve concordar.

É importante que a esposa esteja orando insistentemente pela conversão do marido ímpio e que seja um bom exemplo de mulher cristã, para que assim, pelo seu comportamento honrado e fiel, o marido seja ganho para Cristo.

Que o Senhor conceda a todos um pleno entendimento das Escrituras Sagradas e assim haja paz nos vossos corações.

José Adelson de Noronha

About these ads

16 comentários sobre “A submissão da mulher”

  1. Queridas irmãs e irmãos em Cristo, os princípios divinos nos estão postos. Eles não serão modificados pelo fato de acreditarmos neles ou não. Estudem a bíblia, mas, sobretudo, busquem a Deus – pois é Dele que vêm todas as respostas. Este é apenas um mandamento de Deus e vejam quanto debate em torno dele. E quanto aos demais? Tenho convicção de que, se Deus for o primeiro em nossas vidas, e se fazer a Sua vontade e agradá-Lo for o nosso maior prazer, obedecer a este mandamento ou a qualquer outro vai se tornar muito mais fácil. Aliás, este é o único modo de obedecê-lo e agradá-lo: tendo-o por nosso Deus. Questionar os Seus princípios não muda nada. Encontrar as respostas é importante. Quando formos julgados por Deus, Ele não nos julgará segundo nossas crenças, mas segundo aquilo que Ele estabeleceu. Pensemos nisto!

    Que Deus nos conduza pelo caminho ESTREITO!

  2. A MULHER DEVE SER SUBMISSA?? SIM OU NÃO??

    A bíblia diz em Efésios 5:24-25:

    “De sorte que, assim como a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo sujeitas a seus maridos.

    Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela”

    Em princípio, numa análise superficial, o mandamento pode parecer injusto. Definitivamente, a maioria das mulheres não o aceitam. Se não abertamente, com sua conduta. Este comportamento, no entanto, não é exclusivo das mulheres. Se ao homem fosse imposto tal mandamento, a atitude do homem em relação a ele, muito provavelmente, seria idêntica.
    Contudo, eu gostaria de fazer algumas observações que julgo importantes a este respeito.
    Em primeiro lugar, é preciso ter sempre em mente que não nos cabe julgar os mandamentos que nos são impostos por Deus. Nós somos filhos. Filhos devem obediência ao pai. Não devemos tentar justificar nossas condutas, mas adequá-las ao ordenamento divino. Se temos dificuldade em aceitar aquilo que nos é imposto por Deus, seja qual for o mandamento, nosso problema é bem maior que o descumprimento de um mandamento divino. Nosso problema é que nossa comunhão com Deus está, de algum modo, deturpada. Significa que nosso amor por Deus não é maduro o suficiente para obedecê-lo com alegria. Quando estamos em plena comunhão com o Criador, seus mandamentos não nos são pesados.
    Ora, a bíblia é claríssima em relação a este ponto. Da mesma forma que a igreja se sujeita a Cristo, sujeite-se também, a mulher, ao marido. Contender com a bíblia significa contender com o próprio Deus. Cristo é a cabeça da igreja, o homem é a cabeça da mulher.
    Antes que os argumentos contrários surjam, vale ressaltar que Deus, do alto da sua onisciência, sabia que as relações sociais se transformariam ao ponto de termos hoje muitas mulheres como chefes de família. No entanto, não é uma questão de competência, de capacidade. É uma questão de estabelecimento de ordem. Isso pode parecer loucura para o mundo, mas para nós, cristãos, é sabedoria vinda do alto. Alguém precisa ter o poder de, em última instância, não havendo acordo, dar a última palavra. Obviamente que o ideal é que não seja necessário que o homem utilize sua autoridade – que haja harmonia entre o casal. Entretanto, como todos nós sabemos, os pensamentos e anseios de cada um de nós não são idênticos. Cedo ou tarde, haverá divergência. E quando isto ocorrer, queira você ou não, a última palavra deve ser do homem. E você, mulher, nisto é provada.
    Antes de falar do homem, vale lembrar que, embora a autoridade tenha sido dada ao homem, no âmbito familiar, este também é provado com relação à submissão. Ele deve ser, assim como todos, submisso a Deus, aos seus pais, ao seu pastor, ao seu chefe e, por fim, ao Estado. Naturalmente que esta submissão encontra seu limite nos princípios divinos. Ou seja, não é porque devemos ser submissos que vamos aceitar ordens ou incumbências contrárias àquilo que Deus determinou.
    Agora sim, falemos do homem.
    Aparentemente, o homem ficou com a melhor parte. Eu mando, ela obedece. A minha obrigação é apenas amá-la. Ledo engano. Como podemos perceber no texto bíblico transcrito acima, o amor que o homem deve ter pela esposa é o amor que Cristo tem pela igreja. Aqui está todo o segredo para que seja alcançado o equilíbrio pretendido por Deus.
    Ocorre que não estamos falando de qualquer amor. Estamos falando de um amor tão intenso, tão maravilhoso, que levou Jesus a entregar sua própria vida para morrer em uma cruz. Você, homem, não precisa apenas amar sua esposa. Você precisa amá-la tão intensamente que seja capaz de entregar sua própria vida por ela. Não basta dizer “eu te amo”. Amor não se mede com palavras, mas com atitudes.
    Pode ser que isso lhe pareça estranho em um primeiro momento. Talvez você entenda que a ama o suficiente. Mas o que se espera de um homem que ama sua esposa? Espera-se que o homem faça tudo o que é possível para vê-la feliz. Espera-se que ele faça ela se sentir importante. Ela deve ser o primeiro ser humano na sua lista de prioridades. Nem mesmo você, homem, pode estar à frente dela. Todas as suas decisões que possam afetar sua família devem ser analisadas cuidadosamente, de modo que não frustrem os anseios de sua amada. Ouça-a, reflita, ore a Deus e, somente depois, decida. O marido que ama tem prazer em fazer sua mulher feliz – e ele a faz feliz fazendo aquilo que ela precisa. Ele a trata com carinho e tudo o que ela pensa ou sente lhe diz respeito e é importante. Pequenas renúncias e sacrifícios tomam uma proporção gigantesca ao longo do relacionamento. Os detalhes fazem toda a diferença. Não se iluda homem, nos seus ombros pesa uma grande responsabilidade. Sendo assim, ame sua esposa assim como Cristo amou a igreja. Não se trata de ser capacho. Trata-se de sermos homens que amam a Deus acima de todas as coisas e que amam suas esposas como Cristo amou a igreja. Trata-se de vencermos o mundo, juntamente com seus pensamentos e aspirações, pelo poder do Espírito Santo.
    Homem, não abuse da autoridade que Deus colocou em suas mãos. Sua esposa não é sua escrava. Ame-a.
    Mulher, não abuse do amor de seu marido. Ele não é sua marionete. Respeite-o.
    Se ambos estiverem comprometidos com Deus e, por consequência, com seus princípios, não será pesado a nenhum dos dois cumprir aquilo que por Ele foi estabelecido.
    A esta altura você pode estar pensando: falar tudo isso é muito fácil, mas você pratica isso? Então eu me antecipo e respondo. Para fazer a vontade de Deus é preciso estar com Ele. Quase ninguém, pra não ser categórico, consegue se relacionar desta forma se não for através de Jesus – mesmo porque isso depende de ambos os cônjuges. Mesmo assim, estando com Ele, precisamos ter em mente que somos pecadores e estamos sujeitos a falhas. Da mesma forma que não vamos acertar todas as vezes, nossos cônjuges também não vão. É por este motivo que Deus instituiu o perdão. E Ele nos deu o maior exemplo de perdão. Se eu pratico tudo isso exatamente como descrevi, não sei te responder. Penso que não. Na verdade, o ideal seria que esta pergunta fosse feita à minha esposa. Contudo, tenho pedido a Deus e lutado para que eu possa fazer exatamente aquilo que Ele quer que eu faça – não obstante minhas limitações, que não são poucas. Não te convido para não errar mais. Convido-te para lutarmos lado a lado, cuidando uns dos outros, para que possamos ser, ao final, justificados pelo amor de Cristo que está em nós.

    Deus abençoe a todos!!

  3. A lei masculina, a religião masculina, a política masculina impõem a submissão da mulher.Homem gosta de si mesmo e de homem, faz leis em favor de si mesmo e dos homens,pois é de seu interesse que a mulher o sirva. A mulher vive sem sexo e o homem não vive sem muher, quer prende-la fazerlhe sua serva em tudo pois não vive sem sexo e sem mulher. quer que seja sua posse,porisso criou a religião com as leis em favor de si mesmo. Jesus ,o Deus em momento algum colocou a mulher abaixo do homem, mas a exaltou em todos os texto e a protegeu seus direitos de ser humano. O Paulo apóstolo expressou sua opinião pessoal e individual em Que Jesus, jamais colocou a mulher assim submissa. Muitos pastores,Homens dizem que Deus está falando ,mas é a opinião deles.

  4. e quando a mulher não tem um marido que se submete a palavra de Deus?
    sei que o espaço e pequeno para relatar tudo ,mais quando o marido deixa de corresponder afetivamente ,sexualmente e não faz questão de mudar para conviver melhor mesmo sendo batizado nas aguas e no espirito pois o meu esposo é assim eu abri mão de tudo inclusive de minha vida professional para o agradar mais ,só que ele vive infeliz e sempre gritando falando palavrão e não tem compromiso com Deus eu devo esperar o que pastor me diga que ele me traia ?
    eu sou completamente abandonada nem carinho dele não tenho nem cumplicidade nada, nada;ele não conversa comigo tambem não me ouve quando eu preciso desabaar somente grita e perde apaciencia comigo e me falta o respeito.eu me sinto só é logico nê .

    1. Quando o marido não anda nos caminhos de Deus, mas pelo contrário, é um péssimo marido, então a submissão da esposa é condicional, isto é, tem que ser somente naqueles ítens que não contrariam a Palavra de Deus. Exemplo: se o marido quer praticar, junto com ela, atos pecaminosos ou pecar contra Deus, ela não deve concordar.

      É importante que a esposa esteja orando insistentemente pela conversão do marido ímpio e que seja um bom exemplo de mulher cristã, para que assim, pelo seu comportamento honrado e fiel, o marido seja ganho para Cristo.

    2. Gloria, você relata tantos problemas que impede sugerir uma resposta simples. É preciso analisar a origem de seu marido ter mudado tanto e da situação ter chegado a esse ponto, para então decidir qual a melhor forma de proceder para você, que demonstra ter qualidades, ser valorizada e se sentir realizada. Toda mulher precisa da atenção de um Homem, precisa sentir q é desejada, sentir-se protegida, assim vai sentir que é útil e cumpre seu papel. Você pode ter uma vida assim também. Se não tiver alguém maduro para orientar, pode me procurar, meu e-mail é luishfv@gmail.com.

  5. Quid juris, seria qual e regra aplicar perante essa situação?. quando nos nascemos adquirimos personalidade jurídica ou seja estamos sujeitos a direitos e deveres e naquele momento pergunta- se a parturiente qual e o sexo e dizem muitas delas há e uma rapariga há e um rapaz logo demonstra-se no nascimento certas verdades existências e partir dai que devemos pensar.por isso querida não permita que o San tanas venha te enganar para que não percas harmonia com o teu esposo futuramente. se ele te ajuda nos trabalhos domiciliarios melhor mas nunca forces porque ele e verdadeiramente Autoridade na vossa Relançao, e cada um tem a sua função no casamento.

    Deus vos abencoe

  6. Quando os homens forem homens de verdade: supridores do lar (financeiramente) e não forem turrões e malcriados quem sabe as mulheres se submetam de coração. As mulheres “vristãs” se submetem no exterior, para fazer vista. Dentro de si abominam esta idéia, pois os homens abusam da tal “autoridade”. São autoritários: vejo maridos que não deixam a mulher cortar cabelo, usar batom, usar tal roupa, etc. mas bem que eles querem que ela trabalhe fora e lhe dê o salário. E quando chegam os dois cansados, a mulher, mesmo cansada, é que tem que fazer a janta… Nossa que homens de Deus!!!! E na cama então? Devem aceitar o jeito “homem” de fazer (como submissão)? O povo de Deus está sendo destruído… pelos radicais… as cartas de Paulo eram para aquela questão, daquele momento, daquela situação… aliás, Paulo não era casado…. porque será, né????

  7. COMO DEUS VÊ À MULHER?
    “Irmãs, tomem o alto lugar que lhes corresponde. Este é o ponto de vista de Deus sobre a mulher.
    Quando Lucas escreve seu evangelho, fala dos doze apóstolos. Com freqüência, referindo-se a eles, utiliza a abreviatura “os Doze”. Esses homens estiveram com o Senhor por três anos e meio. Viveram com Ele e lhe seguiram a todas partes onde foi. Mas Jesus também tinha um grupo de mulheres que lhe seguiam em adição aos Doze. Lucas também utilizou uma abreviatura para se referir a elas. Simplesmente chamou-as “as Mulheres”. Ele utiliza esta palavra na mesma forma que utiliza os Doze. Elas eram as discípulas do Senhor. Eram Suas seguidoras igual aos Doze. As Mulheres seguiam ao Senhor por onde queira que Ele for e lhe atendiam em Suas necessidades. Cuidavam-lhe e em nenhum momento Ele se sentiu envergonhado por isso.
    Irmãs, tomem o alto lugar que lhes corresponde. Este é o ponto de vista de Deus sobre a mulher.
    Mas ainda há mais. Os maiores discípulos de Jesus Cristo não foram os Doze.
    Foram as Mulheres.

    Leia mais em:http://celsomikael-meditacoes.blogspot.com/2008/09/como-deus-v-mulher.html

  8. É, fácil, não é!!!Mas se ordem de Deus, quem somos nós p desobedecermos, as vezes o orgulho nos cega e nos impede de seguir o mandamento que Deus deixou, tanto p homens ou p mulheres!!Obedecer é sempre o melhor!!!

  9. A insubmissão, também chamada de incompatiblidade de gênios, é a maior causa do divórcio, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo.
    Quando uma esposa se submete às decisões do marido, deixando por sua conta a direção da família, ao mesmo tempo que obedece à Palavra de Deus, descansa.
    Um marido obediente a Deus e atento ao Espírito Santo, ama sua esposa e perpetua a felicidade de seu lar.

  10. Obrigado Fátima. Devemos sempre ensinar o que a Palavra de Deus diz, mesmo que muitos não concordem. Parabéns pela visão e postura corretas dentro de seu lar.

    Homem e mulher são iguais. Homem e mulher não são a mesma coisa.

  11. Bom, eu sou submissa ao meu marido, ele é homem de DEUS me respeita, em questões profissionais, tarefas etc. ele me trata com dignidade, quando necessário entramos em acordo, quando não dá para ter acordo eu abro mão da minha vontade e a dele prevalece. Esta atitude não me deixa inferior a ele como pessoa, e como servos de DEUS. Não sou inferior a ele por desempenhar um papel diferente do dele. Como não sou inferior ao pastor de minha igreja porque ele é meu lider espiritual, apenas homen e mulher receberam funções diferentes dentro do lar. funções estas que não enaltecem nem um nem outro. tenho consciência da importância de ser auxiliadora idônea. (auxilio: sig. Ajuda…/Idoneo: sig.ser capaz de desempenhar algo que me confiaram). Esse negócio de um ser, o outro deixar de ser, por estar obedecendo a bíblia é mentira do diabo. Quero parabenizá-los po pregar a verdade.

  12. Eu não me submeto à homem nenhum, pelo contrário meu marido é digno de Deus, pois me respeita como igual e não como inferior. trabalhamos e mantemos nossa casa e filhos juntos, damos à eles a melhor educação e somos felizes e completos.

    1. Ravena,
      Em nenhum momento foi dito que a esposa é inferior ao marido por tê-lo como autoridade e, assim, ser submissa a ele.
      Ou você é inferior ao seu chefe, no trabalho, por ele ter um cargo mais elevado que o seu? Trata-se, simplesmente, de quem é que recebeu autoridade de Deus.
      Que o Senhor a faça entender esse ponto, pois assim, nos momentos de discussão, você saberá entender que a responsabilidade está sob o marido. E isso é bom para nós, esposas!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s