Nunca Desistir

Foto de Paulo Victor e Letícia
Foto de Paulo Victor e Letícia

José Mateus

www.reavivamentos.com

 

…Orar sempre e nunca desfalecer (desistir)… Orai sem cessar”, Luc.18:1; 1 Tes.5:17

 

Quando a Bíblia fala em “orar sempre” não significa que estejamos orando todo tempo, mas, que oremos sobre todos os assuntos em que nos envolvemos, sejam estes fáceis ou difíceis, pareçam que vão resultar ou não. O nosso parecer nunca pode substituir uma resposta de Deus. Não podemos responder por Deus e desistir. Somente uma resposta vinda de Deus poderá pôr fim a qualquer oração – ou um sim ou um não. ‘Não’ também é resposta à oração. por essa razão é que devemos persistir até Deus se expressar.

 

Sempre que sabemos, suspeitamos ou pensamos que é Deus a causa da falta das respostas, não podemos desistir nem d’Ele e nem da oração – nem mesmo estando a orar da maneira errada, pois precisamos ver qual a razão por que Deus não nos atende. Precisamos tirar todas as ilações pela ausência de respostas. Quando Deus não nos ouve ou sempre que as coisas não funcionem conforme as promessas ou segundo aquilo que vem escrito na Bíblia, devemos insistir até descobrirmos o que impede nossas orações de serem ouvidas. Desfalecer, desmotivar ou desistir é pecar, pois, cedemos ao erro ao invés de alcançar a nossa correção.

 

Persistir sem desfalecer não significa que não vamos mudar de ideias ou de oração. Tudo vai depender do que Deus nos revelar acerca de nossas orações e de nós próprios. Muitas vezes, Deus não se opõe às orações e sim a quem ora. Deus disse que ouvia a Jó – não disse que ouvia as orações de Jó. Deus ouve quem ora acima da sua oração. Quando o erro está em quem ora, a oração pode estar certa – ou não. Por essa razão é que devemos persistir até sermos ou corrigidos, ou atendidos caso Deus não ouça quem ora. “SOBRE a minha guarda estarei, e sobre a fortaleza me apresentarei e vigiarei, para ver o que falará a mim, e o que eu responderei quando eu for corrigido/repreendido”, Hab.2:1.

 

Quando estamos falando com Deus e não obtemos qualquer resposta, desistir é mais cansativo para a alma, mais fastidioso e mais cruel que persistir. Contudo, as pessoas costumam desistir para nunca serem corrigidas. Preferem morrer que mudar, pois, persistindo irão mudar. “Nem deis a Ele descanso, até que confirme…”, Is.62:7. Existem pessoas que preferem destruir toda a vida futura que mudar em algum aspecto de suas vidas.

 

Deixem-me tentar explicar o que acontece quando persistimos e não somos atendidos: ou nós somos errados de coração aos olhos de Deus e precisamos ser corrigidos, ou é a nossa oração precisa ser corrigida. Nunca iremos saber o que se passa até Deus contender conosco para corrigir-nos. E só seremos corrigidos persistindo e importunando Jesus. Logo nos dirá o que devemos corrigir para sermos atendidos.

 

Quando insistimos com Deus, devemos ter várias coisas em mente: a) nunca desistir de Deus ainda que estejamos errados ou se não sabemos se estamos certos; b) estarmos abertos a ser corrigidos; c) estarmos dispostos a tornarmo-nos fieis a Deus após receber, ainda que recebamos algo diferente do pedido original. Mas, mais difícil de sermos fieis será recebendo precisamente aquilo que pedimos. Por essa razão é que muitos fiéis recusam falar daquilo que Deus faz através deles.

 

“Disse-lhes também: Qual de vós terá um amigo, e, se for procurá-lo à meia-noite, e lhe disser: Amigo, empresta-me três pães, Pois que um amigo meu chegou a minha casa, vindo de caminho, e não tenho que apresentar-lhe; Se ele, respondendo de dentro, disser: Não me importunes; já está a porta fechada, e os meus filhos estão comigo na cama; não posso levantar-me para tos dar; Digo-vos que, ainda que não se levante a dar-lhos, por ser seu amigo, levantar-se-á, todavia, por causa da sua importunação, e lhe dará tudo o que houver mister. E eu vos digo a vós: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á; Porque qualquer que pede recebe; e quem busca acha; e a quem bate abrir-se-lhe-á. E qual o pai de entre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, também, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente? Ou, também, se lhe pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Pois se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?” Luc.11:5-13.

 

“Orai sem cessar” significa orar sem desistir seja qual for a razão. Não significa estar sempre orando: significa orar sem desistir. Mas, para conseguirmos fazer isso mesmo, precisamos ter algumas coisas em mente, algumas das quais a carne recusa fazer e o crente carnal não consegue ou não quererá fazer.

 

Vamos ver alguns problemas que podemos encontrar numa atitude determinada a alcançar.

 

1. Quando o homem começa a buscar Deus, se estiver buscando da maneira errada, irá ser mudado caso persista na busca de Deus. Ora, muitos não querem mudar. Não querendo mudar, não alcançarão Deus e nem a Sua vontade. Persistindo, irão causar a sua própria mudança, de uma maneira ou de outra.

 

2. Muitos outros, ao serem mudados (e quando seus pedidos se vão alterando), desmotivam por não conseguirem alcançar o que a carne pretendia de Jesus. Sabemos que Jesus só tem como obra a destruição da carne. Uma aproximação a Jesus sincera só teria a destruição da carne como resultado. Devemos contar com isso, pois, a razão de ainda termos de pedir a Jesus é precisamente a existência da carne. Se não existisse a carne, a providência de Deus se encarregaria de chegar a tempo e horas, sempre no momento certo. Há que chegar ao ponto quando isto se torna verdade: “E será que antes que clamem eu responderei; estando eles ainda falando, eu os ouvirei”, Is.65:24. Deixem-me tentar explicar melhor. Quando o homem pretende fazer a vontade de Deus por decisão ou porque viu a sua beleza, logo precisa aproximar-se de Deus para conseguir concretizá-la. Essa aproximação destrói a carne porque Deus é Espírito. Enquanto o homem se esforça para alcançar Deus sobre certas coisas, Deus aproveita que o homem se aproxima d’Ele para fazer Seu trabalho paralelo, isto é, a destruição da impaciência, do egoísmo, da desistência ou de outra coisa carnal que ainda possa existir dentro do homem. Normalmente, os pedidos só serão alcançados quando Deus obtiver aquilo que Ele quer alcançar dentro de nós.

 

3. Existe o problema de o homem querer usar as coisas que pede para proveito próprio, quando existem milhões de pessoas se perdendo no mundo. Se a pessoa não for usar o que pede para glorificar Deus, com toda a certeza que não receberá nada do que pede.

 

4. Então, existem estes dois problemas principais: o homem pede mal, para gastar em si próprio; ou ele desiste porque prefere não ser mudado. Ou não recebe porque deixa de pedir quando se apercebe das consequências de uma aproximação sincera a Jesus – “nada tendes, porque não pedis”, isto é, desistem ou não chegam a pedir porque se apercebem das consequências. Ou não recebe porque pretende usar para proveito da carne se receber. “Pedis e não recebeis porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites”, Tiago 4:2,3.

 

5. Temos de ver várias coisas antes de afirmar que Deus não ouve oração. Podemos pedir a coisa certa da maneira errada e não recebermos; podemos pedir a coisa certa para os fins errados com os mesmos resultados; ou podemos pedir a coisa errada da maneira certa e Deus não dará. Por essa razão é que nunca podemos desistir de clamar até havermos sido completamente corrigidos pelo Espírito Santo – se for o caso disso – dure o tempo que durar e custe o que custar. Amém.

6 opiniões sobre “Nunca Desistir”

  1. Olá Leka
    É verdade que muitos pregam o erro. E também é verdade que muito poucos pregam a verdade de forma séria. Mas, mais verdade ainda é que muitos menos que esses poucos que pregam a verdade vivem e experimentam a seriedade que pregam. A culpa é de Deus? Claro que não! Jesus não convida TODOS e qualquer um a entrar em Seus motivos, em Sua força e amor?
    Bem, quanto a pedir um casamento (de sua parte). Eu pedi e achei a esposa que Deus tinha para mim. Funcionou comigo. Por que razão não funcionaria com qualquer outra pessoa? Sou testemunha viva de que aquilo que digo aqui funciona na prática. realmente funciona. Não foi fácil, mas, foi simples. Esperei até que Ele deu. Por desmotivação, descrença ou impaciência poderia procurar a errada. Mas, graças a Deus não o fiz. Casei e meu casamento, agora, glorifica Jesus em Seu poder.
    Em primeiro lugar e esquecendo o casamento, você precisa decidir se vai comprometer-se a glorificar Jesus em/com TODA a sua vida. Em segundo lugar e sabendo que somente através d’Ele e de Seus meios iremos glorificá-Lo de maneira que Lhe seja aceitável, devemos ver se nossa vida, nosso passado, nossos pecados e tudo mais se encontra em ordem e em dia – tanto com Deus quanto com todos os homens. Nossa vida está limpa e isenta de culpa? Pedimos perdão e devolvemos as coisas que não nos pertencem? Devolvemos a verdade nos locais onde mentimos? Sabemos que nossa vida conta mais que tudo que possamos receber?
    Não creio que seja fácil entender como isto funciona, caso estejamos do lado de fora da experiência de viver com Jesus de forma real exclusivamente para Sua glorificação. Mas, temos a promessa que haverá entendimento para quem consegue conviver com Ele, achando-O de forma real. “Os que buscam ao SENHOR entendem tudo”, Prov.28:5b. Há, primeiro, que colocar toda nossa vida em ordem, pecado por pecado, coisa por coisa. Quando você me diz que não sabe por que razão óbvia deveria pedir a Jesus um marido, assumo que não tem luz sobre o assunto. Logo, só achando Jesus de forma real – não como os crentes usuais o fazem – acabará ganhando e vendo claramente o motivo ao qual seu coração se deve apegar e se conformar, isto é, se tornar conforme isso e de que jeito.
    Deixe-me reforçar esta verdade: não é que sua oração ou a forma como ora seja a parte importante. Na verdade, devemos poder ver, nós e Deus, se nossa vida realmente glorifica Deus e se ainda irá manter-se nessa glorificação após haver recebido algo d’Ele que consideraríamos importante para NÓS. Por exemplo: alguém busca sabedoria de Deus. Sabemos que Deus não dará sabedoria a alguém que é facilmente capaz de se ver ou achar sábio a seus próprios olhos. Se, por acaso, sou pessoa que facilmente me acho sábio a meus próprios olhos, nunca receberei a sabedoria da parte de Deus. E desse mesmo modo poderei ‘declinar’ todos os presentes de Deus que possam ser importantes para esta vida actual – ou para a outra. Outro exemplo: Deus criou o casamento como um meio para alcançar um fim. E se as pessoas colocam o casamento como o fim e não como o meio ou como o mecanismo para um convívio são, pode estar a declinar ou rejeitar inconscientemente um grande presente de Deus. Sabemos que o pecador vive sua vida de independente e que usa os outros para que essa independência se estabeleça ainda mais. Os outros tornam-se instrumentos das várias formas de egoísmo que se manifestam em qualquer pecador. (Falo sobre isso do casamento em http://www.reavivamentos.com » MENSAGENS » TEMAS VARIADOS » O CASAMENTO). Bem, sabemos que um casamento é o lugar ideal, a situação ideal para conseguirmos amar outra pessoa da maneira que amamos a nós mesmos e isso de forma intima. Logo, um coração que aprende a fazer a coisa certa da maneira certa, nunca mais esquece e apanha o jeito. Quando sai para sua vida diária aprendeu o que realmente significa amar o próximo COMO A ELE MESMO, ainda que não vá ter a mesma intimidade com mais ninguém. Aprendeu o jeito, viu a ideia claramente. Então, sabendo e assumindo que um casamento é uma forma de quebrarmos a independência tanto em relação às pessoas como a que queremos manter em relação a Deus, podemos assumir que um bom motivo para casarmos é o aprendermos a viver por causa de Deus que nos deu o casamento e por causa de outra pessoa quando ela se ache, também, direcionada para Deus. E se conseguirmos receber um casamento da mão de Deus, se for Ele realmente a dar esse presente, sabemos que nunca dará alguém que não vive para Deus a alguém que vive.
    Bem, um ultimo comentário sobre aquilo que você escreveu. Você disse assim: “Não é muito agradável estar solteira, mas agora ao ler seu texto, sinto-me condenada a esta condição, visto que realmente não há glorificação de Deus em pedir uma companhia para passar seus dias. Gostaria que essa condição mudasse, mas pedirei sob qual justificativa? Não há. É realmente muito estranho”. Quem disse que não há glorificação de Deus via um casamento? Eu até aceitaria e concordaria se você tivesse dito algo assim: “Eu não consigo ver de que forma poderei glorificar Deus”; ou: “Não enxergo nada desta parte”. Ai eu poderia responder de muitas formas, pois, acima disse que quem busca Jesus por Jesus, entenderá e terá essa visão clara. Aliás, não somente a verá como seu coração se tornará conforme essa visão celestial linda. Outra afirmação com a qual não posso concordar é assumir que Deus não dá pelos motivos certos. Quem impedirá Deus? Existe algum ser capaz disso? Haja pessoas que desejem de todo coração somente a gloria de Deus e que deixem de usurpar e roubar tudo que pertence a Deus e veremos quem, nesta terra ou noutra, conseguirá impedir toda a Sua vontade e beleza de acontecerem. Haja mais santos e crentes.
    A verdade é que muitos não vêm as coisas de Deus acontecerem apenas porque não preenchem todos os requisitos para as verem. Os requisitos não são humanos. Na verdade, são a perda dos requisitos humanos.
    Em Cristo Jesus,
    José Mateus

    Curtir

  2. Olá José Mateus!

    Realmente concordo que é muito mais fácil desistir do que mudar os motivos.
    Me senti muito triste ao ler seu texto e confesso que não me sentia assim a muito tempo. Isso porque vejo que realmente é muito difícil a gente ver a glória de Deus na maioria dos nossos sonhos e desejos.
    Então não vejo muito propósito nas mensagens que dizem pra corrermos atrás dos nossos sonhos, pra orar a Deus pedindo tantas coisas…..

    A motivação de Ana mudou. Mas ao pedir um companheiro eu vou dizer o que pra Deus? “Ah Senhor, se Tu me deres um esposo…” vou fazer o que? Afinal, então, não há propósito no casamento, quando a própria pessoa que pede. Concorda?
    Não é muito agradável estar solteira, mas agora ao ler seu texto, sinto-me condenada a esta condição, visto que realmente não há glorificação de Deus em pedir uma companhia para passar seus dias. Gostaria que essa condição mudasse, mas pedirei sob qual justificativa? Não há. É realmente muito estranho.

    Curtir

  3. Olá Leka
    A matéria que escrevi não apenas insinua, mas exorta a que se faça precisamente o oposto daquilo que parecem ser suas conclusões. Por exemplo: não poderei glorificar Deus no estrangeiro, indo por ser Sua vontade pela qual inquiri diligentemente? O que falo aqui nesta matéria é a mudança dos motivos da pessoa, sendo que a base de qualquer pecado consiste precisamente no egoísmo. Logo, posso ter um casamento da parte de Jesus (sendo Deus realmente a unir) onde a verdade, seu amor, a submissão aos Seus príncípios de glória sejam o factor mais claro e meu desejo mais visível, isto é, que qualquer um consiga ver isso mesmo só de olhar para mim ou para meu casamento. O que digo é que pedir um casamento é pouco. Precisamos, além de pedir somente, realmente ACHAR um casamento de Deus onde Deus habite sem se sentir constrangido ou impedido derevelar-se como o Deus único desse casamento.

    Na verdade, o que digo é: não podemos desistir até que nossos motivos mudem. Deixe-me dar um exemplo da Bíblia. Pode ler 1 Samuel 1 e 2? Ali temos a historia de Ana, a mulher que desejava muito ter um filho por motivos que qualquer humano diria serem válidos e justos. Ela era considerada amaldiçoada e vivia melhor e mais santa que a outra mulher de seu marido que continuamente se ria dela e, ainda asim, conseguia ter os filhos que ela não conseguia, ainda sendo mais santa e pura; pensava que perderia o amor do marido e, por essa razão, desejava esse filho também; na verdade, podemos detectar muitos motivos de sobra dentro do coração dela para desejar ter esse filho impossível. Como termnou esta história?

    Ora, vemos que, em certa altura, algo mudou em ANA egoísta, pois, de algum jeito ela deve ter-se apercebido que Deus também desejava para Ele aquele filho que ela tanto desejava por motivos pessoais – muito pessoais e, humanamente, muito válidos. Foi então que ela, ao invés de desistir de pedir o filho por se haver visto egoísta e resoluta em egoísmo, ela prometeu dar aquele filho a Deus. Seria mais fácil jogar tudo para o alto assim que viu seu egoísmo. Não seria? É o que a maioria das pessoas fazem quando são convictos desse tipo de pecados. Contudo, ela resolveu que teria aquele filho na mesma, ainda que o fosse entregá-lo a Deus PARA SEMPRE. Esta mulher fez uma grande obra a favor de Israel, pois sabemos que Samuel tornou-se em um dos profetas principais da história de Israel e do Velho Testamento. Podemos concluir que Ana beneficiou mais tendo aquele filho por Deus do que tendo-o por causa dela prórpia.

    O mesmo procedimento ou sentimento vemos em Davi em relação ao trono prometido: ele queria ser Rei por causa de Deus e pelo povo Israel. Vemos isso estampado em quase tudo que escreve. Não vemos Davi mencionar alguma coisa que quisesse por causa dele mesmo. E sabemos que Davi ganhou mais com isso do que desejar as coisas para ele próprio. Ele ganhou a sua vida havendo-a perdido para Deus e por amor de Israel – pelo amor de Deus por Israel.

    É mais fácil desistir de uma coisa do que mudar de motivos ou de motivação. O que falo aqui nesta mensagem e o que exorto a fazerem é: mudem de coração! E logo verão um Deus sempre fiel. Deus fará tudo que Lhe apraz, sempre que seja tudo por Ele e para Ele. “Santificai ao SENHOR Deus em vossos corações”, 1 Ped.3:15. “E tudo quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei-o em nome do Senhor Jesus”, Col.3:17.

    Ora, quando uma coisa é feita por causa de Jesus – é isso que significa fazer em Seu nome – logo, haverá a necessidade de ser feito através d’Ele também. Mas, isso já é outra questão – um outro assunto. Devemos apenas ter em mente que nada se pode fazer por Deus que não seja feito do jeito que as coisas são ou seriam feitas no céu.

    Se não ficou claro, terei muito maior gosto em expandir mais esta verdade.

    Deus esteja consigo
    Em Cristo
    José Mateus

    Curtir

  4. A paz!

    Muitas pessoas pregam isso: pedindo para nosso próprio proveito, não seremos atendidos.
    Dizem isso sobre os sonhos também. Que dá pra saber se um sonho que temos vem do Senhor, ao sondar se vai ou não glorificá-lo.
    Porém, me deparo com as seguintes questões: então o único objetivo da oração é orar pelos outros e não por nós?
    Digo porque, ao pedir um casamento, ao pedir uma mudança na vida profissional, ao pedir a realização do sonho de morar no exterior, estou pedindo para mim e não para outro. Então nesse tipo de oração não serei atendida?
    Sou jovem, tenho 23 anos e cheguei a conclusão que nenhum sonho que tenho glorifica ao Senhor, pois ao pedi-los, estou pedindo para mim. Os sonhos que tenho, são os já citados acima. Então nem adianta eu pedi-los mais pq não serão realizados, já que não trazem a glória de Deus?
    Porque, onde está a glória de Deus em se pedir um casamento? Ao pedir isto, estou pedindo para mim e não estou salvando almas. Então é errado pedir isto, tendo então de aceitar o fato de que se tiver de acontecer, acontecerá, e eu não devo então pedir isto?
    O autor da matéria poderia me auxiliar nesta questão?

    Curtir

Escreva seu Comentário ou pergunta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s