Abençoada injustiça


 Por Cláudio Campi Lima

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de misericórdias e Deus de toda consolação! É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação com que nós mesmos somos contemplados por Deus. Porque, assim como os sofrimentos de Cristo se manifestam em grande medida a nosso favor, assim também a nossa consolação transborda por meio de Cristo. Mas, se somos atribulados, é para o vosso conforto e salvação; se somos confortados, é também para o vosso conforto, o qual se torna eficaz, suportando vós com paciência os mesmos sofrimentos que nós também padecemos” (2 Co 1:3-6)

 

Quando alguém sofre injustamente na terra e suporta, por amor a Cristo, tanto o sofrimento quanto a injustiça, essa pessoa dá a Deus justiça para que Ele mova na vida de alguém mais necessitado, sem que seja chamado de injusto. Na cruz do calvário isso é explícito. Porque Jesus, sendo Deus, teve que morrer na cruz? Se Ele é Deus ninguém tem o direito de cobrar nada dele. Mas Ele, sendo justiça e amor, rico em misericórdia e compaixão, sofreu a morte e a injustiça sem abrir a boca, por amor a nós, pecadores.

 

Por isso, podemos afirmar que ninguém vai entrar no céu se não escolher amar a Deus.

 

Deus não vai obrigar ninguém a amá-lo ou a ir para o céu, pois muitos iriam murmurando, irritados, odiando a Deus. Não! Não será assim. Somente quem escolher amar a Deus entrará no céu. Deus nos mostra de maneira explícita a justiça e a injustiça, o bem e o mal, a luz e as trevas e nós podemos escolher amá-lo ou não. O evangelho não tem nada de novo. Ele é para quem ama a Deus porque Jesus só serve para pecador. Jesus curou enfermos, ressuscitou mortos, fez sinais, mas isso era só para mostrar a compaixão de Deus pelo homem perdido. Todas as pessoas que Jesus curou, morreram.

 

Jesus curava as pessoas para mostrar que Deus nunca quis isso para o homem. Esse não é o plano de Deus. Mas o homem escolheu desobedecer e a raça humana ficou condenada. Mas Deus continuou amando-o, porque o pecado não veio de dentro do coração humano, mas de fora. E agora todos têm a oportunidade de escolher onde querem passar a eternidade. É uma escolha! Jesus disse: “Quem crer será salvo; quem, porém, não crer será condenado” (Mc 16:16). Crer para que? Para cumprir o plano de Deus.

 

Se o pecador, embora pecando, ama a Deus, se ele realmente deseja Deus, se tem sede de Deus, se quer Deus, se quer passar a eternidade com Deus, se ele quer mesmo, neste caso o evangelho é uma notícia maravilhosa. Quem crer será salvo porque, uma vez que recebeu notícia tão maravilhosa a respeito da sua salvação, desejará ardentemente viver uma vida nova, agora que conheceu o amor que Deus tem por todos os pecadores.

 

Se alguém que não ama a Deus conseguisse entrar no céu, ele, só pela sua presença, tornaria imperfeito o que é perfeito. Põe alguém dentro do céu, sem amar a Deus, para você ver o que vai acontecer, no que vai virar o céu. Só vai entrar no céu quem ama a Deus, livremente! A fé genuína é uma atitude de amor a Deus. E só quem ama a Deus é que O compreende, porque a cruz é uma loucura! Só o que ama a Deus é capaz de compreender a mensagem da cruz. Por isso é que Paulo fala: a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus (1 Co 1:18). A Bíblia diz que Jesus ficou todo deformado. Não tinha aparência. Estava irreconhecível. Só Deus tem poder de demonstrar um amor tão grande assim. Só Deus! Amar assim não é coisa de homem, não.

 

Eu conheço a natureza humana: egoísta, avarenta, maligna, corrupta. Mas cristianismo não é religião, porém obediência. Se alguém te rouba, prejudica, difama, você só pode fazer uma coisa: perdoar e abençoar a pessoa. O Senhor não muda de assunto. Uma pessoa faz tudo errado contigo, você vai, conversa com ela, perdoa e ela faz a mesma coisa daí a pouco! Mas Deus continua no mesmo assunto. Ele não muda: “Ora por quem te persegue”, Ele diz, “ama teu inimigo”.

 

E quando você faz isso, abrindo mão dos seus direitos e da sua justiça, Deus pode então demonstrar misericórdia para com o pecador, o que não poderia fazer como Deus que é justo e, por isso mesmo, necessita respeitar os direitos que o príncipe deste mundo recebeu. Jesus gritou na cruz, “Deus meu! Deus meu!”. Já pensou o Pai ouvindo aquilo e podendo livrar Jesus? O próprio Senhor Jesus podendo se livrar, pois todo o poder estava ali e Ele ter que segurar, por amor a você?

 

Amados, foi tão pouca coisa que Jesus ensinou que nós não temos como “esquecer” para não praticar: “não julgueis e não sereis julgados”; “não condeneis e não sereis condenados”; “perdoai e vós sereis perdoados”; “se alguém te ferir numa face (ou seja, se te zombarem, difamarem, desonrarem) dá a outra”; “Se alguém te tomar a capa, dá a túnica”; “se alguém te obrigar a andar uma milha, vai com ele duas”; “se alguém te tomar alguma coisa, não entre em demanda”; “ame o seu inimigo”; “ore por aquele que te persegue”.

 

A prática do Cristianismo

 

Eu já sabia dessas coisas, irmão, quando me roubaram um toca-fitas certa vez. E aí Jesus, como é que faço agora?Faz o que eu mandei: perdoa essa pessoa”. Aí você se coloca no lugar do ladrão, sofre a perda e só pode dizer: “Senhor, perdoa essa pessoa. Tem misericórdia dela”. Amados, qualquer um de nós poderíamos ser um ladrão, porque nós, com a nossa natureza criminosa somos capazes de fazer qualquer coisa maligna. Nós não fizemos ainda porque não deu tempo. Mas a nossa natureza tem a capacidade de fazer tudo de mal que se vê neste mundo. Nós nem temos consciência de quão maus nós somos.

 

Perdoa, Senhor”, você ora, não com ódio porque você se coloca no lugar da pessoa e começa a compreender a compaixão de Deus, a misericórdia de Deus por todos os homens. Porque na Bíblia não está escrito “não furtarás toca-fitas”. Na Bíblia está escrito “não furtarás”. E se fosse colocado numa balança quem tinha furtado mais, se era eu ou o ladrão, eu ganharia disparado. Só que eu furtava de outras maneiras, com classe, usando contadores, advogados, as brechas na lei.

 

Se o Senhor fosse nos colocar como réus quem escaparia? Ninguém! Quando a gente se reconhece como pecador passa a olhar para os outros com a compaixão com que Deus nos alcançou. Ainda que a gente fique com raiva pela ofensa, chateado pela perda, mas ao se colocar como réu e ouvir Jesus disser: “se você não perdoar, nunca eu vou poder te perdoar!” Na mesma hora, você diz: “Está perdoado”! Perdoa na hora, irmão.

 

É assim que funciona enquanto estamos neste mundo. Nós precisamos andar como Cristo. A nossa justiça tem que exceder a justiça dos homens. Jesus disse: “se a vossa justiça não exceder em muito a dos escribas e fariseus, jamais entrareis no reino dos céus”. (Mt 5:20)

 

Qual é a justiça do homem? Olho por olho, dente por dente e pronto. Tem gente que se enche de orgulho: eu ando na lei. Estou sempre certo! O que é meu é meu e o que não é meu não é! Mas o que é meu é MEU! No cristianismo não tem desse negócio não. “se a vossa justiça não exceder…”. Porque se você faz o bem a quem te faz o bem, que vantagem tem? Nenhuma. Agora, quando você excede a justiça, isto é, você tem razão, você tem direito, pode mandar seu adversário para a cadeia, mas não o faz e sofre o dano, é como se você estivesse ofertando a Deus aquilo para que Ele manifeste a justiça e misericórdia de diversas maneiras.

 

Nós temos recebido, irmãos, do que nós não plantamos. Estamos colhendo do que nós não semeamos. Missionários foram sacrificados em todo o Brasil por nossa causa hoje. Foram mortos no passado, foram expulsos, desonrados, e nós é que estamos recebendo da injustiça que foi feita com eles. Porque Deus colhe onde Ele não semeou. Ele pode fazer isso. Se você sofreu um dano, ora e entrega para Deus. Ele pega aquilo ali e favorece a outra pessoa mais necessitada. Irmãos, nós vamos chorar de ver quantas vezes nós fomos injustos.

 

O trono de Deus é Trono de justiça! Se nós pudéssemos ver subindo do mundo a justiça e a injustiça e tivéssemos que usar aquilo para agir, como faríamos? O trono de Deus é de justiça. É como se Ele usasse da injustiça sofrida e perdoada para aplicar a sua misericórdia, não como Deus, mas como justo.

 

Se a nossa redenção custou a vida do filho de Deus, o único homem verdadeiramente justo que já viveu na terra, você pode ter certeza que nós temos direito assegurado ao perdão dos pecados, porque do mesmo jeito que já foi pago o preço, da mesma forma nós podemos ter certeza da salvação. A salvação é um negócio tão maravilhoso, irmão, que não foi qualquer coisa que foi entregue para ser pago não. Foi o Filho de Deus! Se Deus exigiu por causa da justiça dele o sacrifício do Filho, o próprio Deus vai garantir a nossa salvação. É uma coisa de louco!

 

Graças a Deus por Jesus Cristo!

3 opiniões sobre “Abençoada injustiça”

  1. uma das coisas mais dolorosas da minha vida foi pagar por uma coisa que ñ fiz. isso me doeu muito, me deixou no pó, enquanto os injustos estaõ prevalecendo, até tirando uma da minha cara. como é dificil mas Deus é justo e um dia vai esclarecer isso. obg

    Curtir

Escreva seu Comentário ou pergunta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s