Adultério e Arrependimento


 

Pergunta:

 

Boa noite pastor, estou precisando me consertar com Deus. Eu me separei há quase um ano, mas não nos papéis. Na verdade eu pequei e sinto arrependimento.

 

Eu e meu marido tínhamos uma vida cheia de problemas, sem diálogo, sem uma vida a dois e eu acabei conhecendo um homem e me relacionei com ele. Eu estava fragilizada com o meu casamento e traí o meu marido e hoje me arrependo muito.

 

Fui a uma igreja evangélica com os meus filhos e eles pediram a Deus que eu e o meu marido voltássemos. Isso tocou meu coração, mas não sei se mereço, estou confusa.

 

Pastor, o meu desejo é que Deus me perdoe e o meu marido também. Quero muito voltar com ele e termos uma vida centrada no Senhor. O que devo fazer? Como consigo sentir o perdão de Deus? Me ajude pastor. Cristina

 

 

Resposta:

 

Filha, o perdão de Deus não é para ser sentido, mas crido. A Bíblia Sagrada diz que se pedirmos perdão, Ele nos perdoa. E Seu perdão é imediato. Está escrito e, portanto, é verdadeiro: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 Jo 1:9).

 

Mas, para isso, é necessário que confessemos diante de Deus que pecamos mesmo. E que pecamos por nós mesmos, sem jogar a culpa noutra pessoa ou circunstância. Você traiu seu marido porque quis e não porque o casamento estava ruim. Conheço muitas pessoas cujo casamento está ruim e nem por isso elas traem o cônjuge. Conheço outras em que o casamento estava bom e ainda assim traíram.

 

Não fique se justificando, mas reconheça que pecou porque quis. Se você sondar seu coração, verá que, no fundo, alimentava alguma fantasia a esse respeito, seja por gosto, seja por vingança. Talvez até mesmo tenha tido uma ou outra experiência extra-conjugal antes. Não falo da relação sexual propriamente dita, mas de algo romântico, aventureiro, misterioso com algum colega de trabalho, vizinho, amigo. Isso também é adultério.

 

Não falo isso para lhe condenar, mas para ajudar. Jesus Cristo veio para salvar o pecador e Ele lhe ama e quer lhe dar o perdão e a paz no coração. Mesmo que seu marido não volte jamais para você, ainda assim, você terá paz porque foi perdoada.

 

E, se você tem paz no coração, anda com o senhor, faz-lhe a vontade, Ele pode até restaurar-lhe o lar, a família. Não significa que irá fazer, porque seu marido também precisa querer, mas que o Senhor tem poder para isso, tem. Não se trata de merecer, como você diz, mas sim que essa é a vontade de Deus: que todo lar, toda família, glorifique a Deus.

 

Confesse agora a deus que é pecadora, peça-lhe o perdão e um novo nascimento e comece a glorificá-lO. Procure seu marido (ou escreva-lhe, se for o caso) e peça-lhe perdão pelo adultério, assim como por todas as demais coisas que fez contra ele. Deixe o resto por conta de Deus. Comece a ler a Bíblia diariamente, a orar, a andar com Deus. Procure uma Igreja perto de sua casa e comece a congregar para que nela você seja edificada espiritualmente.

 

Para sua meditação: Leia Salmo 84.

 

Deus lhe abençoe com a plena restauração da paz, da alegria e do amor do marido e dos filhos.

 

Bem-aventurado o homem cuja força está em ti, em cujo coração se encontram os caminhos aplanados, o qual, passando pelo vale árido, faz dele um manancial; de bênçãos o cobre a primeira chuva” (Sl 84:5,6).

 

 

José Adelson de Noronha

462 opiniões sobre “Adultério e Arrependimento”

  1. Ola pastor a paz….
    Preciso muito de uma palavra, ajuda
    Estou casada a 3 anos e nunca tive paz meu marido nao e um homem familia so pensa em trabalho e status.e capaz de viajar dias e nao me ligar so me trata mal, eu trabalho fora e estudo ajudo ele nas contas e mesmo assim ouço muitas palavras de humilhaçao…. sozinha, enfim nao temos dialogo agente briga todos os dias sem esseçao tudo o inrrita… nao temos paz ja fizemos casados para sempre somos evangelicos porem ele nao quer ir mais na igreja.busco ao senhor oro mas sou infeliz nessa relaçao.cheguei a nao querer mais me olhar no espelho, e apareceu uma pessoa na minha vida durante esse periodo hoje estou traindo meu marido.me sinto mal quero me separar nao para ficar com o outro mas porque me sinto em uma prisao sou infeliz mas e agora? Estou traindo que fazer separar seria melhor soluçao mas tenho medo de ir para o inferno mas viver em um casamento de aparencia? E se parar de trair como vou conviver com isso? Supondo que eu tenha q aguentar o marido pois DEUS abomina o divorcio mas como conviver com o,peso da traiçao e infeliz com alguem que nao amo e nao me ama?

    Curtir

    1. Filha, a graça e a paz do Senhor Jesus te visite e mude a realidade de sua vida, é minha oração a seu favor, neste momento.

      Embora vocês sejam evangélicos, estão ambos fora da vontade de Deus, em todas as coisas. O principal erro é que você casou-se para ser feliz e não para fazer o marido feliz. Ele, da mesma forma.

      Claro que, mais cedo ou mais tarde, teriam problemas, pois isso é egoismo e não amor. Infelizmente para vocês os problemas vieram bem mais cedo.

      A partir dessa posição egoística, todos os demais males estão acontecendo na vida de ambos, inclusive o adultério.

      Pare imediatamente com a traição e procure seu pastor ou conselheiro matrimonial e peça-lhes ajuda, pois a continuar assim, você jamais terá paz no coração.

      Curtir

  2. Parte 2: Mas me casei, nossa relação era boa, tirando os vícios dela, ela era uma boa esposa, uma mãe amorosa, éramos uma família com problemas, mas havia amor, ela e a menina eram minha paixão, minha vida. Quando fiquei viúvo a minha atual mulher, irmã de minha primeira esposa, se aproximou de mim, acabamos nos casando. Eu achei que seria melhor pra menina ter uma madrasta que era da família (tia) do que uma madrasta de fora da família. Minha mulher nunca foi paciente, nunca gostou de crianças, ela nunca pôde ter filhos para minha decepção, eu queria ter um filho meu, claro que a menina sempre foi uma filha para mim, mas eu queria ter mais filhos, uns dois ou mais, eu queria uma família grande e me frustrei. Minha família acabou sendo pequena e cheia de conflitos, entre a menina e a tia. As duas nunca foram como mãe e filha, apesar de minha filha chamá-la de mãe, minha mulher nunca foi uma mãe de fato. Minha relação com a mulher sempre teve altos e baixos, cheguei a arrumar uma amante, ela descobriu, eu me arrependi e nunca mais voltei a fazer isso, mas ela joga na cara até hoje e sempre teve uma certa implicância com a menina por ela ser parecida com a mãe (na verdade a menina superou a mãe em beleza). A família toda começou a associar a minha filha com a mãe biológica, achando que ela ia seguir o mesmo caminho, por ela ser muito bonita e ter tido relacionamento de caráter duvidoso, as más línguas começaram a falar. Um canalha que foi meu amigo, sabendo da história da mãe biológica da minha filha, de que era garota de programa, teve a ousadia de oferecer dinheiro para minha filha passar uma noite com ele (ele era casado). Minha filha deu o fora nele, eu o peguei no flagra e parti pra cima dele, minha vontade era de parti-lo no meio, mas meus sobrinhos estavam por perto e nos separaram, mas a amizade acabou. Ele andou vindo atrás de mim dias desses, queria que eu o ajudasse nuns problemas, mas mandei ele ir para o inferno. José Adelson, tenho a impressão de que você não se simpatizou comigo pelo que escrevo, mas te entendo, eu sou do tipo de pessoa que cai no extremo, ou a pessoa vai simpatizar comigo imediatamente, ou vai se antipatizar imediatamente. Mas sempre pedi sua franqueza, então está tudo certo. Eu às vezes não sei por que fiquei casado com minha mulher por tanto tempo, então penso que aprendi a gostar dela, mesmo que às vezes a vontade seja de tirar férias definitivas dela, mas eu oro e peço paciência e prossigo na luta. Um amigo meu diz que eu já vivo no inferno com o “diabo”. Mas falando sério, eu amo minha mulher, não é como amei minha primeira mulher, mas é amor também. Mas para mim, a menina sempre veio em primeiro lugar, então, isso estabeleceu certa competição de atenção, de um lado minha mulher querendo fazer programas nos finais de semana onde a menina não fazia parte (ela falava pra deixar na casa de alguém, de parentes ou amigos), de outro lado tinha minha filha querendo minha atenção, querendo fazer programas que minha mulher não atura. Ou seja, para agradar uma eu desagradava à outra, foi assim por anos, um inferno. Sair os três juntos virava problema, porque minha mulher ficava o tempo todo recriminando a menina, dando bronca, falando para ela se comportar e virava briga, chegávamos a casa brigando, minha mulher falando sem parar e xingando, eu revidando e minha filha agia conforme seu humor, hora entrando na discussão falando nervosa , hora chorando (crises de choro intermináveis para meu desânimo). Eu chegava em casa louco de raiva, ia para o escritório e trancava a porta, ligava um som para tentar relaxar, e para isolar as vozes das duas (mulher e filha) que ficavam na briga por mais um bom tempo.

    Curtir

    1. Parte3: Aí, era um bater de portas, desaforos, choros… Enfim, seja sincero de novo: o que acha que faltou para as coisas se ajeitar como uma família harmoniosa? Eu sempre quis uma família grande, harmoniosa que desse para se reunir sempre. Nos reunimos sempre, mas sai faísca pra todo lado, é alfinetadas, indiretas, etc. Quando estamos a sós, eu e minha mulher, até que nos damos bem, saímos muito, rimos, podemos até ter um momento íntimo e aconchegante… nesses momentos penso que a amo. Mas quando minha filha surge, a complicação começa, minha mulher acha que eu coloco a menina sempre na frente dela, minha filha acha que eu a deixo de lado pra fazer a vontade de minha mulher… Enfim, faça o que fizer, nunca agrado as duas ao mesmo tempo. Isso aconteceu, por exemplo, na adoção do menino que minha filha teve na adolescência. Agradei uma e desagradei outra, entende? Hoje eu sei que errei em várias coisas, mas o menino (meu neto), está bem cuidado, bem saudável, a mãe adotiva é saudável, forte, e com instinto maternal grande. Minha filha ama o menino, quer vê-lo, conhecer, chegou a sonhar em tê-lo de volta, mas ela não seria uma mãe completa como a mãe adotiva. Principalmente naquela época, hoje apesar da deficiência, ela amadureceu um pouquinho, ainda é imatura, emburra a toa, tem suas limitações, mas ela está mais adulta. Mas ela me disse dias atrás que queria ter ficado com a criança, que ela sente falta e fica se sentindo culpada por ter deixado o menino ser criado por outra família. Nessas horas bate remorso, culpa, mas por ela é que tomei decisão dessa natureza e ela consentiu, no fundo, ela sabia que não daria conta de cuidar de um bebê sozinha. Podia ter arrumado uma babá para ter ajudado? Podia, mas mesmo com babá, a mãe tem seu papel e minha filha naquela época estava afundada na depressão, decepcionada porque ela amava o namoradinho e se decepcionou feio. Não sei se o que escrevi foi desabafo ou o quê, mas analisando tudo, pode falar o que quiser. O que eu mais queria era ver minha mulher e minha filha sendo como mãe e filha, faria um bem enorme principalmente para a menina e depois para mim e mulher também. Mas cada dia essa vontade fica mais distante, lamentavelmente. Ficarei por aqui, se quiser deletar meus comentários fique a vontade, porque são extensos, mas gostaria de sua visão geral sobre o que falei. Obrigado.

      Curtir

      1. Irmão, ao contrário do que você sente, eu me solidarizo com você, com suas atitudes de amar a filha, especialmente quando decidiu investir na mãe dela, sabendo-a grávida, doente, viciada e difamada. E não apenas na mãe, mas adotou como sua a filha gerada por outro.

        Da mesma forma me solidarizo com você ao decidir casar-se novamente, com a tia da menina, esperando que ela adotasse, como mãe, a sobrinha. Me solidarizo também com o fato de ter-se mantido casado, apesar dos desentendimentos domésticos, da incompreensão da esposa e de ter lutado para manter a menina consigo mesmo, podendo tê-la entregue à família da ex-esposa..

        Não pense que não sei o que viver anos e anos entristecido com alguém, sem poder romper com esse alguém.

        Também não te condeno no caso do neto, pois vocês tinham até o direito legal a abortar e decidiram não fazê-lo, o que é bastante elogiável. E, quanto à adoção, sei que naquele momento, sendo sua esposa desprovida de amor maternal e sua filha incapaz de ser mãe, a melhor solução foi mesmo entregá-lo à adoção. E a prova é que ele é feliz na família onde está, que é, de fato, a família dele agora.

        Mas, muitas vezes sou duro com você porque vejo que, no fundo, permanece em seu coração, uma necessidade grande de ser visto pelos homens como um pai bem sucedido. Posso estar enganado, e se for o caso, peço que me perdoe.

        Isso, muitas vezes o levou a fechar os olhos às deficiências da filha e a cobrar dela o que ela jamais foi capaz de ser, o que gera mais sofrimento ainda a ela.

        Também vejo que sua esposa é quem domina sua casa, e isso desde o princípio. Talvez agora seja tarde para mudar essa realidade, a não ser que haja uma conversão genuína dela a Cristo. Então, o melhor a fazer é buscar de Deus sabedoria para amar a esposa e a filha, cada qual segundo as suas necessidades.

        Por exemplo: qual a necessidade de vocês terem passado na casa de sua filha, vestidos de festa, sabendo que ela não tinha sido convidada? Isso foi para o bem da filha ou da esposa? Da filha é que não foi porque provocou nela dor e tristeza. Um pouco de pulso firme dentro de casa não faz mal algum irmão.

        O que te aconselho agora, é o mesmo conselho que dei a seu genro: que vocês andem em acordo quanto às providências de proteção psicológica, emocional e espiritual de sua filha. Por exemplo: o pai do seu genro está pressionando-a a pedir divórcio e isso tem feito muito mal a ela. Ele chega a ir na casa deles, quando seu genro não está, para pressioná-la. Ora, o seu genro deve respeito e honra ao pai e não pode simplesmente dizer a ele que não os visite. Mas ela não precisa abrir a porta para ele, estando sozinha em casa. Já os orientei a que não permitam que ele entre na casa, sem que seu genro esteja presente. O seu genro tem que respeitar o pai, mas você não é filho e deve respeitá-lo apenas por ser mais velho. Pode e deve proteger sua filha dos ataques dele.

        Por outro lado, você tem obrigação de amar (servir) a esposa, como Cristo te amou, mas o seu genro já não tem a mesma obrigação e deve respeitar sua esposa apenas por ela ser mãe da esposa. Ele pode e deve confrontá-la quando vir que as atitudes dela estão prejudicando a saúde emocional e psicológica da esposa.

        Andando juntos (em acordo), irmão, você e seu genro, poderão ser mais eficazes nas bênçãos que sua filha necessita.

        Pense nisso e que o Senhor lhe abençoe e traga sabedoria, graça e paz, em Nome de Jesus.

        Curtir

  3. Boa noite. Da última vez que escrevi, acho que você achou que eu estava comparando minha filha com os primos, prima etc, mas não estava, apenas queria saber se você desde o início, quando a menina começou a se aconselhar com você, se percebeu o problema dela, não estava comparando. Eu amo minha filha, não importa suas limitações, a amo como sempre amei. Agora, claro que não vou ficar dando pulos de alegria com a situação dela. Eu sempre quis o melhor para minha filha, um bom estudo, um bom casamento, uma vida de qualidade e saúde… Mas apesar de tudo vejo que nem tudo está perdido, a menina apesar da deficiência pôde se casar, vai ter um filho no mês que vem, enfim, o grau da deficiência dela é leve. Então, pelo menos o básico ela pode ter, já que as coisas “maiores”, mais complexas será mais difícil de conseguir, ela sempre será especial. Ontem fui com minha mulher à casa de minha filha, mas passei rápido, tínhamos compromisso (um aniversário de um amigo p/ ir). Minha filha estava conversando pouco, mas estava tudo bem, até que ela reparou que minha mulher estava com vestido de festa e produzida para festa. Ela perguntou onde íamos, eu falei e infelizmente nessa hora a sobrinha de minha esposa ligou para minha mulher perguntando que horas íamos chegar na festa. Minha filha percebeu pelo que minha mulher falava que a prima ia, e perguntou se os primos iam também, enfim, quando ela percebeu que todo mundo da família foi convidada menos ela e o marido, ela emburrou. Eu tentei ignorar o emburramento, mas minha mulher falou para a menina parar de drama, de besteira, porque ela nem era próxima a essa família. Mas ela continuou emburrada na sala e não deu mais um pio. Ela sempre teve esse tipo de comportamento, mas nunca havia pensado que se tratasse de uma deficiência causada pelos abusos de álcool e drogas pela mãe biológica dela na gestação. Quando penso que a menina, tão linda, poderia ter nascido saudável, me sinto mal, porque foi pelos abusos de drogas da parte da mãe que ela ficou assim. Mas não culpo a mãe biológica, ela foi a mulher que eu amei de verdade, ela foi vítima de uma vida desregrada, ela era doente: tinha depressão, TOC, mas além disso era dependente química. Vou contar uma coisa: minha mulher atual teve problemas com a irmã caçula (minha primeira esposa e mãe da menina). Minha primeira mulher era a “ovelha negra” da família. Ela sempre se destacou pela beleza, era loura, corpo deslumbrante, rosto lindo, enfim, as irmãs dela não tinham a metade da beleza dela. Porém, todas as moças da família eram de moral, todas afirmam que se casaram virgens, minha atual mulher se casou virgem e eu fui o primeiro namorado dela. Enfim, as irmãs eram moças prendadas, estudavam muito, tinham apoio dos pais para continuar os estudos e encontrar um partido decente para casarem. Mas a caçula, fugiu da regra, ela teve tudo que as irmãs tiveram, teve amor, carinho, apoio, mas muito nova já começou a namorar e ter vida sexual ativa. Ela por ser bonita era muito paquerada e ela começou a trocar de namorados como quem troca de roupas. Mais tarde, mesmo tendo conforto e vida boa, ela por influencia de “amigos”, saiu de casa aos 18 anos e virou garota de programa. Não dessas que ficam nas ruas, ela conseguiu levantar uma boa grana com isso, ela podia se dar ao “luxo” de escolher clientes mais apresentáveis e que pagavam mais. Ficou nessa vida por dois anos. A família tinha vergonha do que ela fazia, ela fazia isso sem precisar, porque muitas moças entram nessa por pobreza extrema, falta de estudo, mas ela entrou nessa sem precisar (nem eu entendo porque ela fez isso, porque isso foi a ruína dela). Quando ela cansou dessa vida, estava cansada, doente, ela voltou para casa. Mas já era alcoólatra e viciada em drogas, conheceu então o pai biológico da minha filha e tiveram um rolo, ela engravidou, mas ele sumiu do mapa. Então eu a conheci e assumi a paternidade da menina, nos casamos, eu me apaixonei por ela, mas meus pais não aprovavam porque falavam que eu não deveria me casar com uma prostituta.

    Curtir

  4. Sim eu sei que me está tentando ajudar e agradeço muito por isso. E claro que não estou de algum modo ofendida, nem magoáda, de jeito nenhum, estou muito agradecida por estar dando a sua opinião e me tentando ajudar, e estando me dando tudo o que está ao seu alcance para me apoiar e me fazer recuperar… E sim, tudo o que fiz foi errado, desde o primeiro momento eu sei. E estou arrependida por isso claro, pois essa experiência fez com que eu perdesse tudo e me deixasse cair neste abismo sem retorno. E claro que doi e magoa ter feito o que fiz, porque se me encontro nesta possição foi porque não soube fazer a escolha correcta, não soube ser verdadeira comigo, não soube ser verdadeira para a minha amiga e não soube ser forte para não ceder. Mas não é isso que me doi mais. O que mais doi é ver o mal que causei á minha melhor amiga, a ter magoado, ferido e partido o seu coração desta maneira tão falsa, tão desrespeitosa, tão fria, tão cruel. E quando ela me confronta com os acontecimentos eu não lhe consigo dizer nada, porquê? Será assim tão difícil responder ás perguntas que ela fez? Era o mínimo que eu podia fazer por ela neste momento certo? Dizer-lhe o porquê? Como me deixei levar por um homem? Como me entreguei assim? O que que eu estava a pensar? Não pensei no mal que lhe estava a fazer? Não pensei que ia magoar as pessoas? Pensava que ninguém iria descobrir este erro? Não sei o que fazer que respostas dar a estas perguntas…
    E infelizmente eu não decido nada, nem tenho o direito algum sobre o casal, não é a mim que cabe decidir perdoar ou não, só ela o poderia fazer, mesmo que eu queira muito a sua amizade de volta, mesmo que eu não cometa mais erros, mesmo que eu mude a minha atitude, mesmo que eu consiga recuperar os meus valores, o meu respeito isso não irá fazer com que eu consiga recuperar o seu amor, a sua amizade e o carinho que tínhamos.. Eu estou horrorizada com a dor que lhe causei e não consigo fazer ela perceber isso.

    Curtir

  5. Mas eu gosto mesmo deste casal, tivemos momentos de pura e verdadeira amizade sem qualquer tipo de malícia, sem jogos ou algo sexual á mistura. E sim gostei do que fizemos, foi diferente, foi divertido, foi inocente, nenhum de nós planeava magoar ninguém, muito menos eu. E quero acreditar que não perdi os meus valores, não sou uma pessoa desleal, não sou uma má miúda, não sou..Sim, sei que me deixei levar por esta brincadeira, por esta fantasia, por ideias e sentimentos que provavelmente nunca existiram… Claro que não queria que isto acontecesse, claro que nunca passou pela minha cabeça que algum dia iria ser capaz de ferir a minha melhor amiga com fiz. E claro que irão me julgar, eu própria me estou julgando. A dor do arrependimento é grande demais, a falta que a amizade e o carinho que os dois me fazem e a dor que sinto por não poder estar com eles é inexplicável, mas claro nada apaga o que eu fiz. Apesar de tudo nunca tive maldade no coração. Eu não sou o que fiz, não sou uma traidora e gostava de poder ter a oportunidade de o provar, mas neste mundo dos mortais não nos dão essas oportunidades certo? Teremos nós de morrer para podermos ser perdoados por alguém? Para mostrarmos o nosso arrependimento? Para verem se é verdadeiro ou não? Só com a morte é que receberemos essa oportunidade ou talvez até aí seremos condenados e castigados? Pois eu queria reaver essa amizade pura e genuína novamente e não vou conseguir porque ninguém vai acreditar no meu puro arrependimento, muito menos ela, por maior que seja o meu esforço, por mais que eu a tente respeitar. Eu amo os dois e vou sempre amá-los de coração. Sim magoei a minha melhor amiga, deixei-me levar por algo que nem eu própria consigo compreender, que eu própria não consigo explicar a ela o porquê? E isso eu gostava de lhe explicar e não consigo, não sei o que lhe dizer, se lhe disser algo que ainda a vai magoar mais?
    Serei assim tão mau ser humano que não tenho direito ao perdão das pessoas que magoei? Será que tudo de bom que fizemos na vida, todas as nossas boas ações, o respeito pelo outro, os valores, a lealdade, o carinho, a preocupação, o amor que demos, tudo isso desaparece, tudo isso é apagado? Eu sei que é muito difícil esquecer e perdoar, mas dar uma oportunidade na vida será impossível? Irei ser condenada e castigada o resto da minha vida por um erro que cometi, um erro grave sim, mas um erro reconhecido, um erro sentido e um erro que nunca mais será repetido? Uma amizade de anos morta por um erro que não tem perdão aos olhos do Homem…
    Mas obrigado pela ajuda, alguém que se preocupou e deu sua sincera opinião, obrigada sr.cacau

    Curtir

    1. Amada, minha intenção foi de ajudá-la e não estava lhe julgando, as vezes a sinceridade pode parecer dura demais, eu sei. Amada, o homem deve perdoar sim, eu não disse em momento nenhum que só Deus pode perdoar seu erro. Quando eu disse que seria melhor se afastar do casal, é simplesmente para evitar recaídas e novas desilusões e mágoas.

      Eu não sei se você é cristã ou não, se crê na Bíblia ou não, mas deixei o que a Bíblia fala para sua meditação. A palavra pode parecer dura, eu sei, mas as recomendações ali é para o bem de todos e não para condenação ou julgamentos.

      Amada, Deus te ama tanto que deu seu único filho para que morresse numa cruz por amor a você e toda a humanidade. Você disse que está arrependida, mas parece que se arrependeu apenas de ter traído a amiga com o marido dela, porque confessou que gostou muito da “brincadeira a três”. Amada, sendo uma cristã não posso dizer para você que esse tipo de relacionamento é certo, mesmo que você diga que foi inocente (acho meio difícil).

      Você quer ao que parece continuar sendo amiga do casal, você tem o direito de decidir e fazer o que quiser, mas haverá consequências de qual atitude tomar (boas ou más). Espero que não tenha ficado magoada com o que disse e peço perdão se te ofendi, mas tudo que lhe disse foi pensando no seu bem, na sua salvação de alma. Não sei se é cristã, mas se for, reconcilie com Deus, Ele mudará sua história. Se ainda não for cristã, comece lendo a Bíblia… Amada, você não precisa morrer para ser perdoada (aliás, eu não disse nada para me dizer isso), você pode ser perdoada nesse momento, depende de você apenas. Mas arrependimento é mudança de atitude, não voltar a cometer o erro do passado. E sim, eu sei que você é um ser humano sujeito a erros, eu também sou pecadora, não pense que não. Mas ao aceitar a Jesus, me arrepender de meus pecados passados, sou nova criatura, ainda erro e muito, mas os erros do passado ficaram para trás.

      Amada, você é muito especial para Deus, estarei orando por você. Um abraço fraternal de sua irmã em Cristo.

      Curtir

      1. Obs: reli minha primeira resposta a Maria e realmente não soube me expressar bem ao dizer que só Deus poderia lhe perdoar. Na verdade, eu queria dizer que somente Deus pode mudar a vida de uma pessoa, porque Deus perdoa e faz da pessoa nova criatura. O homem pode e deve perdoar ao seu próximo, porém, o homem não pode fazer por uma pessoa, o que Deus faz. Espero que agora esteja sem maus entendidos. Que a Paz de Cristo esteja sobre você, amada Maria.

        Curtir

  6. Estou neste momento vivendo um sentimento de culpa e arrependimento destruidores. Não sei o que fazer. Trai minha melhor amiga com o seu marido e ela descobriu. E agora não sei o que fazer, só me apetece morrer, por me ter deixado levar desta maneira e por ter magoado e ferido o coração de uma pessoa que eu amo tanto. Como é que eu fui capaz de lhe fazer isto como? Eu não sou esta miuda, não sou. Nos tivemos uma brincadeira a três, algo que não devia ter sido mais nada senão uma simples brincadeira mas, para mim foi muito mais do que isso, realmente mexeu comigo, com os meus sentimentos. Eu gosto muito dos dois, eles conseguiram quebrar algo em mim que eu nunca tinha deixado. Nunca tinha estado com ninguém, eles foram os meus primeiros em tudo. Os primeiros que eu beijei, os primeiros a tocar-me intimamente. Nessa brincadeira ouve de tudo menos penetração (pois nenhum dos dois sabia que eu era virgem) e a penetração entre eu e ele simplesmente não surgiu . Depois nunca mais fizemos nada, mas como eramos amigos iamos trocando mensagens eu com ele; eu com ela e assim foi durante bastante tempo. Mas ele queria saber mais, e fazia-me muitas perguntas e eu fui-lhe sempre respondendo, as coisas com ele continuaram, ele precionava e dizia que era mais facil para mim se voltassemos a estar os 3 juntos eu deixar de ser virgem. Mas eu não queria magoar a minha amiga por isso fui sempre recusando a ideia de estar com ele para me livrar da minha virgindade. Mas cedi, ele disse que ela nunca iria saber, e eu burra e imatura cedi, não pensando que se ela descobrisse as consequencias iriam ser terriveis. E assim foi. Fizemos uma vez e ela acabou por descobrir e enfrentou-o a ele e depois a mim. Eu entrei em pânico e não fui capaz de lhe dizer nada. Só de a ver naquele sofrimento matou-me e saber que eu era a causa desse sofrimento ainda piorou. Não fui capaz de lhe responder o Porquê? E ainda hoje não lhe disse nada. Como vou explicar se nem eu sei ao certo o porquê? Como é que ela vai conseguir fechar este capitulo se eu não lhe consigo dar uma simples resposta de porquê que o fiz? Eu não a queria magoar. Eu realmente gosto mesmo muito mas muito dela. E queria ajudá-la a pelo menos conseguir fechar esta etapa da vida dela. Este sofrimento que ela está a sentir por minha culpa. Mas como o fazer? O quê que dizer? Eu não sei.. Estou a ficar desesperada. Ela era mesmo uma grande amiga e a minha imaturidade, estupidez levou-me a magoa-la. Com o meu erro arrestei-me a mim para o abismo e estou a levá-la comigo, e eu não quero isso… Eu quero que ela seja feliz com o marido dela, porque ela decidiu dár-lhe a ele uma oportunidade. E eu sei que eles se amam incondicionalmente. Mas para isso eu preciso de lhe dár a ela uma resposta o porquê? para ela conseguir continuar a vida dela e tentar ser feliz… Alguém que me ajude por favor.. O que devo fazer? O que devo dizer? O que devo responder? eu não quero piorar mais as coisas.Estou mesmo muito arrependida com a minha atitude.

    Curtir

    1. Em primeiro lugar tudo está errado desde o início: relacionamento a três não leva a lugar nenhum a não ser a destruição de valores, princípios e de sentimentos também. Não consigo enxergar sinceridade numa “amizade” dessas, onde os sentimentos ficam jogados de lado e onde falta lealdade, decência e caráter. Esse jogo de swing pode parecer fantástico no começo, mas leva a destruição moral, espiritual e emocional.

      Não estou julgando, mas como pediu para alguém ajudar com opinião… estou dando a minha. Estar arrependida já é um bom começo, mas procure entregar-se a Jesus como seu único e suficiente salvador. Somente Ele pode perdoar seus pecados e dar-lhe nova oportunidade, para recomeçar uma nova vida. E sinceramente, penso que seria melhor deixar essa amizade com esse casal de lado. Você era virgem e começou a descobrir as coisas não com uma pessoa, mas com duas… Continuar com essa amizade só vai trazer recaídas, novas culpas e desilusões, porque o pecado na hora pode ter sabor doce, mas depois vem o amargo. Para sua meditação deixo esses versículos bíblicos:leia, pense e tome coragem para não voltar a cometer os mesmos erros. Deus pode lhe perdoar se seu arrependimento for sincero.

      “A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual”. (1 Tessalonicences 4.3)

      “Ora, as obras da carne são manifestas: imoralidade sexual, impureza e libertinagem; idolatria e feitiçaria; ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo, dissensões, facções e inveja; embriaguez, orgias e coisas semelhantes. Eu os advirto, como antes já os adverti: Aqueles que praticam essas coisas não herdarão o Reino de Deus”.
      (Gálatas 5:19-21)

      “Fujam da imoralidade sexual. Todos os outros pecados que alguém comete, fora do corpo os comete; mas quem peca sexualmente, peca contra o seu próprio corpo”.(1 Coríntios 6:18)

      Amada, tome a decisão de se libertar e servir a Cristo, ele pode te dar o que o mundo inteiro não pode: PAZ, AMOR e SALVAÇÃO ETERNA.

      Curtir

    2. Maria, a amizade dessa mulher é perniciosa à sua alma. Assim como a amizade do marido dela. Eles, sendo experientes, e você inexperiente, a levaram para o pecado. No fundo o que eles queriam era satisfazer-se sexualmente com a sua ingenuidade. E conseguiram naquele momento. Mas a cobiça do marido foi além ao saber que você ainda era virgem. Ele é quem traiu a esposa.

      Culpe-se a si mesmo por ter se envolvido com o pecado, mas não se culpe por ter traído a mulher, pois ela, de fato, não é amiga com quem se deve envolver. Saia fora dessa amizade, pois nunca mais poderá haver pureza entre vocês, a não ser que todos se arrependam e se convertam ao Senhor.

      O Senhor tenha misericórdia de todos vocês e lhes abra os olhos para ver os caminhos errados em que têm andado, em Nome de Jesus.

      Curtir

      1. Mas ninguém ia adivinhar a minha inexperiência pois eu não falei sobre a minha inexperiência sexual com nenhum dos dois. Só posteriormente, o marido da minha amiga ficou sabendo,porque íamos conversando normalmente, afinal éramos amigos certo? E essa experiência tinha terminado, não era para continuar. E continuávamos a conviver todos juntos os três, mas claro, sem pecado um convívio natural e normal como quaisquer ser humano. Sim, ele traiu a esposa e eu? O quê que eu fiz? Trai a minha melhor amiga porquê? Cometi este erro nas costas dela para quê? O quê que eu ganhei com isto tudo? O que me levou a cometer esse ato?
        Claro que estamos todos arrependidos. E muito compreensiva tem sido essa minha amiga, pois tem me dado oportunidades de falar de me explicar, mas simplesmente eu não consigo, não consigo encara-la, tenho vergonha do que fiz e quando estou ao pé de minha amiga só consigo chorar e não consigo encontrar as palavras corretas dentro de mim para lhe explicar o que se passou. E ela não precisa que eu chore, pois provavelmente dos três ela será a pessoa que mais está a sofrer, afinal ela é que foi duplamente traída. E ela necessita de respostas para as duvidas dela, para assim poder tentar fechar ou aliviar um pouco este capitulo da sua vida, destruída por mim.

        Curtir

        1. Filha, o que te levou a cometer este ato foi sua natureza pecaminosa. Não sei porque tanto drama, pois foi a sua “amiga” quem te traiu.

          Você foi seduzida a um ato sexual (mesmo que sem penetração a primeira vez) pecaminoso, e parece que isso não te afeta, não te leva ao arrependimento.

          Você está triste, não pelo pecado de ter praticado o swing, mas porque a “amiga” descobriu que você foi além com o marido dela.

          Todos vocês precisam arrepender-se, confessar a Deus os seus pecados e nascer de novo, pelo Espírito Santo, se quiserem ter um final feliz nessa história.

          O Senhor tenha misericórdia de vocês e lhes abra os olhos para que vejam seus pecados e se arrependam e sejam salvos, em Nome de Jesus.

          Curtir

          1. Tem toda razão sou mesmo uma traidora e pecadora.E não ela nunca me traiu, foi sempre um grande apoio na minha vida, esteve sempre presente nos bons e maus momentos de minha vida, sempre pronta para me ajudar e apoiar. E sim o que mais me está a afetar neste momento é mesmo o facto de ter praticado o ato sexual com o seu marido e a minha amiga ter descoberto, mas estou arrependida do que fiz, mas para quê tanto drama se fui eu que me deixei envolver no mesmo. Obrigado Sr. pelas suas sábias palavras, muito agradecida

            Curtir

            1. Você ainda não entendeu e não vê relacionamento entre duas mulheres e um homem como pecado. Você faz mais drama por ter traído a confiança da “amiga” do que por ter se deitado com ela e com o marido dela.

              Mas eu oro e peço ao Senhor que lhe abra os olhos e lhe mostre o caminho da verdade e da salvação, em Nome de Jesus

              Curtir

  7. Oi José Adelson estou tão confusa!me casei muito nova com 17 anos pois ia na igreja e tinha medo de cair em pecado sendo que meu marido nao era cristao!bem fizemos 7 anos de casados nos separamos algumas vezes pois nosso casamento desdo comeco nao foi facil!ele muito ciumento bebia e me agredia,saia passava dias fora de casa as vezes ate com outras mulheres!mas sempre voltava e dizia que me amava eu nao o amo pois ele me fez muito mal,mas o aceitava de volta por causa dos meus pais que insistiam e porque temos um filho tenho medo de me separar e nao arranjar mais ninguem!tenho medo de ficar sozinha!meus pais me passam medo dizendo que se me separar vo me arrepender,e que nenhum homem vai querer nada serio comigo por ja ter um filho e ja ter sido casada,dai fico com medo de desobedecer eles! E como se nao bastasse meu marido esta envolvido com drogas(cocaina)faz dois anos ,ja!qando descobri fiquei arrazada e quis por um ponto final no nosso casamento.como ele nao quer a separacao foi para uma clinica de reabilitaçao,Só que nesse tempo que ele esta la ,conheci um homem na igreja,fez missoes toca na igreja, morava fora e veio pra cidade onde moro faz 6 meses!ele é divorciado ha 2anos e meio e a gente começou a conversar.conclusão me apaixonei por ele e ele por mim! Não sei o que faço pois ja faz tempo que queria me separar só não fiz isso por medo e por inseguça! Mas tenho tanto medo de estar pecando! Gosto dele mas não quero pecar! Se eu me divorciar e ficar com ele estarei pecando? Estarei trazendo maldiçoes pra minha vida? Me ajude estou confusa?meu casamento nunca foi bom sempre brigamos ele me bateu muito ja qase me matou mas diz esta arrependido,apesar deu não ama-lo tenho dó dele!e tenho medo de complicar a minha vida mais ainda! Ja esse homem que conheci é tão diferente,responsavel de Deus,só o fato de não ter vicios me tirou um peso das costas!!! Me ajude não sei o que fačo! Sei o que quero mas não sei se é certo!? Agradeço muito se puder me aconselhar!!!

    Curtir

    1. Irmão, eu acabei de deixar uma opinião pra uma mulher com dúvidas se deve ficar com o atual marido ou voltar para o ex… Sinceramente, lendo essas questões de divórcio vejo a complicação, nem sei mais como me posicionar. Divorciar para ficar com outra pessoa na minha concepção é pecado, mas há casos em que não sei como posicionar, porque há casos que para mim, parecem por complicados demais e biblicamente não sei a postura correta em alguns casos. Mesmo lendo a Bíblia, conversando com pessoas cristãs, não entro num consenso, acho que cada caso é um caso e que se Deus for julgar duramente todo divorciado sem sem por motivo de adultério, vai ficar duro, porque hoje as pessoas por uma briga qualquer já se divorcia…( não me refiro à amada que até apanhou do marido, falo do geral).

      Curtir

    2. Irmã, você está em pecado, sendo casada e envolvendo-se com outro homem, mesmo que apenas por meio de conversas amorosas. Caiu num laço de satanás, assim como seu marido caiu no vício.

      Arrependa-se e apoie seu marido nesse processo de libertação dele, de transformação, pois ele quer restaurar o casamento e está eforçando-se para isso.

      Volte-se para os caminhos do Senhor e não se deixe enganar pensando que divórcio irá fazê-la feliz.

      Que o Senhor tenha misericórdia de você e lhe abra os olhos antes que o mal se torne pior, em Nome de Jesus.

      Curtir

  8. Sou casada a 13 anos não oficialmente no papel engravidei e fui morar com ele na casa d minha mãe e depois vomos morar n cidade dele chegando la ele nao gostava d sair vivia em casa e nem queria ter relações comigo cansei e voltei p minha cidade depois d 10 meses so q ele veio atras e ficamos novamente n casa da mamãe fizemos uma casa no quintal d minha mãe e estamos aq at hj ele nunca deu muito carinho p nosa filha e por muitas vezes s referia a ela como a tua filha; ele s acomodou nosa casa nem tem banheiro dentro e nao tinha interese em ter uma casa nosa
    desde o começo nunca fui apaixonada por ele nunca o amei discutiamos muito sempre por ciumes da parte dele eu gravida sempre fui acusada d sta traindo ele ele m torturava psicologicamente e sempre quem perdia a cabeça era eu e partia p cima dele e claro eu perdia a razão com o tempo eu comecei a fazer o msm com ele a ter ciumes possessivo . Ele não gostava d sair era sempre uma luta tirar ele d casa mais sempre q eu conseguia era depois d muita briga e ele ainda deixava claro q não gostava d sair stava indo por minha causa e sempre ia emburrado.uma vez em uma ligação q ele fez sem querer p mim eu ouvi ele falando pros amigos dele q havia transado com uma mulher do trabalho dele
    So q n meio diso tudo eu m aproximei d rapaz d perto do meu trabalho e fiquei com ele 1 ano sei que a culpa é tão somente minha e me arrependo muito j pedi muito perdão à Deus mais a culpa não m deixa seguir não sei s devo contar a ele peço ajuda
    obg

    Curtir

    1. Irmã, está tudo errado nessa relação entre vocês. Ambos precisam de um conserto com o Senhor Jesus e de uma tomada de posição firme com relação à família. Se for para continuarem juntos, melhor que seja em novas bases, sob casamento de fato, com a bênção de Deus através de um pastor.

      Confesse a ele seu pecado, diz que sabe das traições dele e que, a continuar assim, não há bom futuro para vocês. Ou mudam agora, ou tudo irá piorar, inclusive para sua filha, que deve estar sofrendo muito com essa relação.

      E tomem posição com relação ao Senhor, pois satanás está agindo poderosamente em suas vidas. O Senhor tenha misericórdia de vocês e lhes conceda transformação radical em suas vidas.

      Curtir

  9. Olá. Fiz elogios demasiados à uma mulher que mora distante, mas que conhecemos, eu e minha esposa, e todo ano vamos à sua casa. Confesso que fui envolvido num clima de romantismo e trocava mensagens com ela. Eu , principalmente procurava e um dia por ter sido muito insistente nas mensagens. Quer dizer , passava mensagens toda hora elogiando etc, mas sem dizer propriamente nada de direto. De repente me vi pecando contra Deus e contra meu casamento. Chorei ppor uma semana e ainda estou , às veazes com um peso em minha alma, pois minha esposa é maravilhosa para mim. Já pedi perdão à Deus e apaguei o telefone dela do meu celular e WhatsApp. Não quero mais. O senhor acha que devo contar pra minha esposa ? Eu não gostaria.

    Curtir

    1. Irmão, graças a Deus você se arrependeu a tempo, pediu perdão ao Senhor e não veio a cair em precipício. Se contar à sua esposa for trazer algum benefício ao casamento, então conte. Caso contrário, você trará mais mal e aí seu pecado será maior ainda.

      Curtir

  10. Pr. Adelson. Tenho q confessar; sou um homem casado e cristão, porem estou viciado em pornografia e masturbação. Por mais que eu lute e ore, acabo caindo. O pior é que estou me sentindo endurecido aos poucos. Ore por mim, me aconselhe. Não tenho com quem conversar.

    Curtir

    1. Irmão, eu oro e clamo ao Senhor misericórdia para você, assim como para todos que se encontram prisioneiros do vício sexual e peço ao Senhor que os liberte, fortaleça e faça de suas vidas bênçãos em suas famílias e relacionamentos, em Nome de Jesus! Que todos possam ser pessoas transparentes e cheias do Espírito Santo, sendo sal e luz por onde quer que o Senhor os leve.

      Curtir

    2. Querido que bom por sua confissão. Eu também era assim, porém não sou casado, todos nós sabemos que é realmente uma luta. A questão é que você precisa correr do mundo virtual ou outros meios para a pornografia que leva a masturbação, vejo que muitas pessoas não dão atenção que é devida a esse assunto.
      Observe também para que você possa trabalhar com isso na área de libertação, muitas pessoas não entendem que uma entidade de demônios trabalham na área sexual.
      Deus abençoe sua vida.
      Parabéns José Aldeson pela obra que faz para Deus.

      Curtir

      1. Consegui um tempo vago para poder escrever. Estou enfrentando muita dificuldade em saber lidar com minha filha agora que sei comprovadamente de suas limitações. Vou ser franco, depois que me respondeu a última vez que lhe escrevi, resolvi eu mesmo ir conversar com um especialista, levei os exames de minha filha, os relatórios de sua condição. Pensei que talvez meu genro tivesse exagerando ou quem sabe, estivesse com especialistas equivocados. Então, fui consultar um especialista diferente para ter uma nova visão. Fui essa semana e estava tenso, confesso, torci para ele dizer que com tratamentos ela iria ficar nova em folha e pronta pra fazer como as jovens de sua idade, continuar estudando, batalhando para um futuro melhor. O especialista examinou os relatórios, os exames feitos, e depois de um longo tempo (que para mim pareceu uma eternidade), ele me olhou e disse sem floreios que tudo estava certo. Ele disse que os exames e relatórios estavam corretos e que minha filha é especial. Diante de meu desânimo visível, ele disse que sabia que era difícil assimilar isso mesmo, que me compreendia perfeitamente. Pedi para ele ser o mais claro e sincero possível e usar termos comuns, sem termos médicos, para eu entender melhor (eu trabalho numa área que não tem nada a ver com saúde e alguns termos médicos, deixam dúvidas). Ele pacientemente e educadamente simplificou as coisas. Em linguagem comum,ele disse que minha filha tem QI (quociente de inteligência) abaixo do que pode ser considerado normal, disse que tem problemas irreversíveis relacionado ao desequilíbrio mental. Ele disse praticamente as mesmas coisas que meu genro me passou. O especialista disse pessoas com problemas semelhantes ao dela, são pessoas mais infantis, imaturas, por isso mais susceptíveis a serem submissas. Eu mencionei sua postura submissa e perguntei se tinha a ver com o problema mental dela. Ele disse que sim, justamente por serem mais infantis no modo de pensar, agir, são pessoas mais manipuláveis, por isso precisam de apoio e ajuda especial, porque também têm tendência a serem complexadas, se acharem feias. Diante de meus questionamentos ele disse que todo tipo de pessoas podem ser vítimas de agressão e abuso sexual, óbvio. Mas ele disse que pessoas com o problema de minha filha se tornam bem mais vulneráveis a esse tipo de coisa. Eu disse que a menina tinha até se formado, ele me ouviu e disse que provavelmente ela só conseguiu se formar devido às ajudas extras e devido o curso ser bem mais fácil que os mais concorridos. Ele disse que com o problema dela ela pode aprender, expandir conhecimentos, mas dentro de sua condição mental, de seu problema. Ele disse que nunca se pode dizer que a pessoa é totalmente incapaz de aprender alguma coisa, que mesmo uma coisa simples, insignificante para pessoas saudáveis e “normais”, que é aprendida pela pessoa portadora de deficiência mental, deve ser encarada como sucesso e incentivo. Eu sempre quis que minha filha fizesse um curso melhor, em uma universidade federal renomada e boa. Mas quando percebi que minha filha não tinha sequer passado na primeira fase do vestibular, e tinha ido muito mal, eu não querendo ver ela tão atrás da prima e dos filhos de meus amigos, resolvi pagar uma faculdade particular. Não desmerecendo as faculdades particulares, mas as federais são bem mais preparadas. Então, enquanto os primos dela fizeram cursos bons em universidades federais, a minha filha foi para uma particular e mesmo com as “facilidades” que as particulares dão, ela penou para formar, teve que repetir algumas matérias em que foi reprovada, enfim, com muito “suor” ela se formou. O especialista falou que quando ela aprender uma coisa nova, mesmo que eu ache ridículo, devo incentivar e parabenizar, para ela se sentir valorizada e motivada. Ele deu um exemplo, se ela aprender a fazer uma receita mais complexa de culinária, isso deve ser encarado como um aprendizado, se ela ler um texto e entender o significado interpretando corretamente, já deve ser considerado um aprendizado, porque pessoas como ela, têm dificuldade de raciocinar e fazer interpretação de textos principalmente com palavras mais complexas. Ele falou da necessidade de levantar o ego, elogiar, evitar cobranças e críticas lembrando que para ela tudo é mais difícil devido aos problemas. Minha filha é linda, mas ela tem complexo de inferioridade mesmo, se acha feia, ela não fala isso, mas age como se fosse, já cheguei a rir muito dela, pensando: (se ela se acha feia, imagine o que sobra para as realmente feias). Cheguei a rir muito mesmo, achando que era paranoia de mulher perfeccionista, porque chega a ser ridículo ela se achar feia, porque ela é linda. Mas o especialista disse que algumas pessoas com esses problemas têm uma visão distorcida de si mesmo. José Adelson, seja sincero, você andou por meses aconselhando minha menina, dando conselhos, ela parece que escrevia muito, você percebeu alguma coisa desde o início de seus comentários, ou só depois que eu falei? Me dê suas primeiras impressões a respeito de minha menina, e me dê umas dicas de como agir com minha filha, porque de repente percebi que lidar com pessoas “normais” é muito fácil, porque é fácil discutir. Minha filha sendo especial complica, quando ela está chateada ela emburra como uma criança mesmo, ela inclusive fica com um biquinho na boca quem nem criança. Sempre que eu dava bronca e ralhava sério, ela ou chorava sem parar ou ficava o dia todo emburrada, isso é assim até hoje, ou seja, ela é mesmo imatura. Pode ser sincero como tem sido, eu odeio é falsidade, mesmo que a verdade doa, a prefiro a falsidade. Obrigado e ore pela menina, ela precisa muito, porque a vida dela nunca será fácil como de pessoas saudáveis, ela conviverá com isso para sempre. Obs: minha mulher acha que é exagero, ela fala que a menina é “lerda” de preguiça mesmo, falta de ânimo de estudar e ser uma profissional. Como convencer minha mulher? Ela consegue me deixar louco de raiva, eu gosto dela, mas ela sabe perturbar como ninguém, às vezes, acho que até o diabo tem medo dela, ela é dose. Obrigado.

        Curtir

        1. Irmão, parabéns por se empenhar em compreender sua filha e as necessidades dela. E páre de querer saber como as pessoas vêm sua filha, páre de comparar sua filha. Quem compara, seja lá o que for, é tolo, especialmente se estiver comparando pessoas. Cada pessoa é única diante de Deus amada por Deus.

          Além disso, está provado que toda a humanidade é deficiente mental, que usamos muito pouco nosso cérebro, segundo todo o potencial mental que o Senhor nos concedeu. Quem disse que as pessoas “normais” são esses bem-sucedidos nas faculdades federais? São todos deficientes. e Muito! Apenas o homem Jesus de Nazaré, era normal.

          Enquanto você estiver querendo saber como as pessoas vêm sua filha, enquanto estiver envergonhado do modo dela agir, você estará pecando por orgulho e soberba.

          Diante das informações que seu genro e que esse especialista lhe deram, eu pergunto: qual será seu comportamento com sua filha daqui por diante? Você é quem tem que responder.

          O Senhor lhe abençoe com sabedoria e graça, em Nome de Jesus

          Curtir

  11. Pastor, terminei meu namoro por incertezas de sentimento.. com uma semana de término, fiquei com um cara porém ele é casado (não é casado na igreja, nao sei se há diferença para Deus no caso de adultério em ser casado na igreja ou não, tem diferença?) mas só ficamos, sem sexo.. acabei me envolvendo e talvez me apaixonado, mas tomei decisão de não continuar nisso por não agradar a Deus e por poder me machucar muito mais. Tenho orado muito e tenho sentido no coração para eu tentar novamente com meu namorado.. estou com uma culpa muito grande por ter ficado com esse cara, ja pedi perdão e pedi pra Deus tirar essa culpa e qlquer resto de sentimento dessa paixão do meu coração.. Eu não posso contar isso ao meu namorado pq o magoaria muito e não sei se ele voltaria comigo. Estou perdida, sem saber como agir e com uma dor muito grande no coração, com culpa e com medo. O que me diz disso?

    Curtir

    1. Irmã, ter ficado com homem casado, mesmo que só no civil, foi adultério sim. E ter continuado a se relacionar com ele continua sendo adultério, pois o incentiva ao pecado e o leva a desejar romper com a esposa. Ou a ter duas mulheres: a esposa e você. A esposa e outra, depois que você se for da vida dele. Não se iluda quanto a isso.

      Mas o seu problema maior é a insegurança. Por que voltar com o ex-namorado se ainda não está segura de seus sentimentos com relação a ele? Aliás, você está encantada com o homem casado. Voltar com o ex agora vai trazer sofrimentos para você e também para ele, pois não estará de coração inteiro com ele.

      Ore mais e se Deus lhe confirmar que deve reaproximar-se do ex-namorado, então seja transparente com ele em relação aos seus sentimentos e em relação ao que aconteceu com o homem casado.

      Curtir

  12. Pastor eu trai meu namorado estou tao triste ja pedi tanto perdao a Deus. me sinto culpada por nao contar ao meu namorado estamos planejando nosso casamento me sinto tao indiguina que penso em suicidio todos os dias devo contar a ele ? ou levar a vida como se eu tivesse errado com ele ?
    eu só quero ser feliz. ):

    Curtir

    1. Irmã, que a paz do Senhor te visite e mude a realidade de sua vida. Suicídio não vai resolver seu problema e ficar calada também não, pois será uma morte lenta, baseada na culpa.

      Uma coisa é certa: você não ama seu namorado com a força necessária para suportar as crises do casamento, servindo-o e fazendo-o feliz como deve ser um casamento cristão. Você está casando para ser feliz e não para fazê-lo feliz.

      E agora é hora de saber se seu namorado a ama de fato, pois se ele a deixar ao saber do seu pecado, é sinal que ele também está casando para ser feliz e não para faze-la feliz.

      Contar será a prova> Se ele lhe perdoar é sinal que ele, de fato, lhe ama mesmo.

      O Senhor lhe dê sabedoria para decidir-se, em Nome de Jesus.

      Curtir

      1. José Adelson, estou precisando desabafar, porque estou cheio de coisas na garganta, presas. Minha filha esteve internada, pelos problemas cardíacos e psiquiátricos também. Meu genro conversou com um grupo de médicos e eles falaram sério. Meu genro veio me dizer tudo em particular, para que eu entendesse a gravidade da situação. Os médicos disseram que minha filha é especial, entendeu? Eles falaram que ela ter se formado, não significa que ela é como as outras pessoas, ela é especial e requer tratamento especial. Eles disseram que as crises de nervos, e todos seus ataques são de um conjunto de problemas de desequilíbrio mental sério. Disseram que ela tem alguns problemas irreversíveis, que já nasceu com vários probleminhas, ficou comprovado que ela tem QI abaixo da média. O fato de minha filha ter se formado, é devido às ajudas extras que ela tinha e ela escolheu um curso mais curto e fácil em vista dos cursos mais concorridos e bem vistos. E ela penou para se formar, ela conseguiu com sofrimento. Os médicos disseram também que ela sempre terá limitações, que o que é fácil e comum para os outros, para ela é difícil e complicado. Ela provavelmente nunca conseguirá resolver coisas sozinhas sem a ajuda de alguém, ela ser lenta de raciocínio deve persistir, enfim, em termos médicos, eles explicaram que ela deve seguir tratamento para o resto da vida, e que as crises de nervos, depressão, ansiedade e perturbação mental, podem ocorrer vez ou outra. Então, concluindo, minha filha nunca será uma profissional, vai ficar em casa, ser apenas esposa, mãe. Os médicos disseram que não é preciso se esperar dela, uma vida como das pessoas saudáveis, que ela sempre terá um jeito especial de ser, mais infantil, com dificuldades de resolver as coisas até mais simples, tomar decisões sozinha etc. Que ela deveria ser estimulada a fazer coisas que gosta,mas sem pressão, e tendo em vista seu limite. Eles também alertaram meu genro que ela deverá ter alguém experiente para cuidar do bebê quando ela estiver indisposta, com algum problema do desequilíbrio mental. Meu genro disse que já arrumou uma babá (uma cristã, de 45 anos, e que já tem dois filhos adolescentes). Disseram também pra quando ver ela fazendo alguma coisa errado, não fazer críticas duras, lembrar que ela sempre vai ser mais infantil na maneira de falar, agir, pensar e fazer as coisas (por isso ela é lenta nas tarefas e etc.) . O problema cardíaco dela é grave e requer cuidados também e ela não deve em hipótese alguma pegar peso, cuidar da casa sozinha ela não poderia. Mas graças a Deus ela tem ajudante que cuida de tudo, tudo mesmo, ela só fica com a parte de cozinhar e vez ou outra lavar louça. Conclusão: minha filha nunca vai ser como seus primos, nunca vai ser alguém bem profissionalmente. Meu genro me surpreendeu mais uma vez, ele me disse que antes de casar já previa tudo que agora foi dito pelos médicos. Ele disse que não se importa, que a ama como antes, que se casou sabendo de suas limitações e por isso desde o início, já arrumou alguém pra cuidar da casa e tudo o mais. Ele me disse que minha filha foi a mulher que ele mais amou na vida,a que ele mais gostou, e que se casou com ela para ter uma mulher, uma companheira, não uma empregada pra fazer tudo sozinha. Ele disse que minha filha era a pessoa mais importante da vida dele, que ele cuida dela com prazer, porque a ama como ela é. Achei admirável a atitude dele porque ele é inteligente, um homem que apesar de 46 anos poderia ter a mulher que quisesse, mas quis e aceitou minha filha do jeito que ela é. Então, José Adelson, acabou minhas expectativas sobre a minha filha, agora estou sabendo que de fato minha filha é especial, desde que nasceu, por isso demorou a andar, falar, ler e escrever (hoje ela faz isso bem, mas coisas mais complexas ela não entende). O fato da mãe biológica dela ter consumido coisas ilícitas na gestação, comprometeu e muito minha menina. Mudando um pouco de assunto: Gostei muito do menino, mas não deu para minha filha conhecer o garoto. Mas filmei e fotografei o menino bastante, minha filha já me ligou querendo os vídeos, ela está ansiosa pra ver a filmagem. O menino é inteligente, saudável, tem uma vida legal e acho que ele vai ter um futuro bom. Minha mulher achou o menino lindo, mas ela não é doida por crianças, ela não é dessas que ficam encantadas com crianças. Gostei de conhecer meu neto, de tê-lo aqui. A mãe biológica dele me falou que ficou admirada com a beleza de minha filha, falou que ela facilmente ofusca quem estiver ao lado dela, porque até no hospital ela estava linda. Mas ela me falou que minha filha não seria uma mãe boa para o menino. Ela falou que pelo que conversou notou que ela não tem condições de ser mãe. Eu disse que ela estava sendo dura com a menina, mas ela falou que estava sendo realista. Deixei passar, não queria criar um clima com as visitas (porque quero que eles voltem outras vezes), mas claro que não gostei do que ela falou.
        Minha filha saiu do hospital na quinta-feira, mas está muito triste, ela disse que queria tanto ver o menino. José Adelson, minha filha já teve problemas de possessão maligna, que atraiu sobre si inúmeros problemas, abusos (quando criança ela foi molestada aos seis anos apenas, descobri e tomei as providências necessárias, óbvio). A pessoa que fez isso, um homem feito já, morreu devido a um AVC na semana do ocorrido, acho que foi castigo divino por ter mexido numa criança inocente (era vizinho e minha filha tinha ido brincar com uma coleguinha na casa do homem). Ele mexeu nas partes íntimas dela, eu fiquei louco quando descobri isso, mas ela permaneceu intacta, ele mexeu externamente, mas não deixa de ser abuso e eu queria ele sendo punido pela justiça terrena, mas a justiça divina foi mais rápida. Esse homem ter morrido na semana que isso aconteceu, acho que foi castigo divino mesmo. E depois aconteceu o que você já sabe (uma sucessão de problemas), ou seja, a beleza de minha filha desde cedo, lhe custou caro. E todas essas coisas contribuíram para acentuar seus complexos, sua timidez, seus problemas. Ela está liberta da possessão graças a Deus, mas muito estrago fez na vida dela. Não fico falando dessas coisas, mas isso é um peso em mim, porque minha filha é uma moça jovem, linda, mas já tão sofrida e eu não sei como lidar com os problemas dela, porque eu tenho dificuldade em aceitar suas doenças, por ela ser tão jovenzinha ainda. Queria ouvir sua opinião e uma palavra sincera que possa me ajudar. Peço que ore por minha menina e pra ela não perder as esperanças de ver o filho. Ela voltou a perder as esperanças, porque acha que os pais adotivos não irão querer trazê-lo de volta e cismou que a mãe adotiva não gostou dela. Obrigado.

        Curtir

        1. Irmão, o Senhor lhe abençoe, assim como à sua filha e esposa, em Nome de Jesus.

          É bom você por pra fora tudo o que lhe tem feito sofrer e é muito bom parar de ficar sonhando com uma filha perfeita, pois só quem é ingênuo é que ainda tinha esperança disso. E só quem é perverso de coração, vendo o estado dela desde a infância ficava exigindo o que ela nunca pôde fazer ou ser.

          Não sei onde você se encaixa, se ingênuo ou perverso, mas certamente que na sua família e na família da sua esposa, tem tanto perversos, quanto ingênuos.

          E em ambos os casos, quem sofre e sempre sofreu foi sua filha.

          Mas graças a Deus que seus olhos estão sendo abertos e peço-lhe que ame sua filha assim como ela é, com as limitações dela, sem exigir jamais o que ela não pode ser, fazer ou dar. E não deixe que os perversos em suas famílias a maltratem, a humilhem.

          Exigir dela coisas que ela não é capaz, ou fazer comparações dela com os primos, prima, etc, especialmente em público, é muita humilhação, causa muito sofrimento a ela. Seja homem e não permita isso.

          Nem mesmo compará-la com o próprio filho é permitido.

          Irmão, ore muito pela sua filha, apoie-a, apoie o marido dela, abençoe-a e aprenda a conviver com as limitações dela.

          E outra coisa: ser mãe e dona de casa não é coisa de menor valia para a mulher. Pelo contrário, esta é a missão maior de Deus para as mulheres. Então nunca diga que sua filha está destinada a ser “apenas dona de casa e mãe”, pois você está ofendendo a Deus com essa expressão.

          Quanto ao seu neto, eu creio que é impossível que a mãe adotiva o impeça de vir, talvez nas férias de meio de ano,, pois ele vai continuar insistindo muito pra vê-la, assim como ao irmãozinho que está para nascer. Apenas aguarde e creia.

          O Senhor lhes abençoe e lhe conceda sabedoria para ser um canal de bênçãos de Deus na vida de todos, especialmente de sua filha, em Nome de Jesus.

          Curtir

  13. José Adelson, você foi sincero. Eu estou me sentindo culpado porque eu realmente sou exigente, já peguei muito no pé de minha filha pra ela estudar etc, mas nunca aceitei suas doenças e agora elas estão escancaradas, como se “gritassem” pra eu aceitá-las. Minha filha está internada, acho que a ansiedade de ver o menino a deixou sensibilizada demais. Fui visitá-la mas ela não conversou muito, ela estava meio sonolenta e meio aérea, minha mulher foi comigo. Minha mulher não gosta de ambiente hospitalar, então quem ficou de acompanhante dela foi uma tia dela. Essa tia me contou que teve até que ajudá-la a tomar banho, porque ela está fraca e tendo tonturas. Mas uma coisa me chamou a atenção, o carinho que meu genro trata minha filha, ele realmente ama minha filha, dá para ver, até minha mulher comentou rindo que devia ter sido esperta e casado com um homem bem mais velho pra ser valorizada e mimada. Ela falou isso dando uma piscada pra minha filha, mas ela não riu, ela está quieta, eu tentei animá-la, mas ela estava chateada porque ela queria que minha mulher ficasse de acompanhante. Eu tentei em casa convencer minha mulher a ficar com a menina, mas ela arrumou um monte de desculpas e disse que não atura ambiente hospitalar. Vou explicar uma coisa, minha mulher no fundo não se sente uma mãe para minha filha, acho que é isso. Quando eu me casei com ela, a menina já tinha pouco mais de três anos, então, mesmo ela sendo tia da menina, na verdade nunca sentiu amor maternal. Isso é o que penso, ela nega isso quando eu falo pra ela, mas é o que vejo. Às vezes acho que se tivesse casado com outra mulher, minha filha de repente tivesse tido uma madrasta melhor (minha mulher deixa muito a desejar no relacionamento com a menina). Olha, é vício, apesar de minha filha ter 22 anos, eu ainda a chamo de menina. No quarto, estávamos conversando (eu, minha mulher e meu genro) sobre a visita do menino (eles virão nesse feriadão), quando olhei pra minha filha pra fazer uma pergunta, ela tinha dormido. Eu fiquei olhando pra ela, ela é uma menina meiga, doce e linda, mas falta o principal: saúde e alegria. Eu sou bem saudável apesar de meus 47 anos, e minha mulher também e meu genro então, vende saúde apesar de ter 46 anos, ele é fortão, alto, minha mulher e sogra falam que ele parece um guarda-costas por causa do físico e altura. E minha menina que devia estar aproveitando a vida, sendo feliz, trabalhando, não é saudável. Eu sei que você foi sincero ao dizer que a família dela só cobra, compara etc. Eu amo minha filha, mas eu de vez em quando cobro coisas, mas porque quero o bem dela, sou o pai. Mas outras pessoas são bem mais exigentes: meus sogros e minha mulher cobram bastante dela várias coisas. Não sei se isso é errado ou falta de amor, afinal todo mundo que tem filhos, cobram deles coisas, não é? Mas eu estou afrouxando as cobranças, porque li a revista de psiquiatria clínica que meu genro me emprestou e fiquei impressionado, ali eu fiquei sabendo de coisas que nunca tinha lido ou ouvido. Eu tentei convencer minha mulher a ler a revista, mas a matéria é longa, várias páginas de pesquisas de psicólogos e psiquiatras e minha mulher não quis ler, disse que não vai perder seu tempo lendo chatices. Eu insisti e acabamos brigando feio, eu tenho raiva de minha mulher tem horas, ela sabe me tirar do sério. Ela fala que não tem o que fazer, que a menina já está casada e tem quem cuida dela, que ela não é médica pra ter que ficar de plantão o tempo todo com a menina… Olha, a maior parte de nossas brigas é por causa de minha filha, quando eu defendo minha filha, ela diz que eu sempre coloquei a menina na frente dela, que eu sempre amei mais a menina do que a ela. Hoje mesmo ela veio com esse assunto, eu me enchi e disse que era verdade, que eu amo mesmo a menina bem mais que ela, porque ela é filha da mulher que eu amei de verdade. Minha mulher xingou, bateu porta, quase derrubou a casa, mas depois deu uma acalmada e até foi comigo visitar a menina. Eu convido minha mulher pra ir a igreja comigo, ela nega e fica criticando, falando mal, e fala que igreja é só para os fracos como eu e minha filha. Minha mulher implicou até com as flores que eu comprei pra levar pra minha filha, ela é durona mesmo, implicante, ciumenta das bravas, pra ter base, ela cismou que uma enfermeira estava me paquerando e deu uma na moça, a coitada ficou sem graça e eu também, ela é uma mulher difícil de lidar, aliás, a família dela é toda assim, são geniosos e sangue quente. Isso é um problema, porque eles não engolem desaforos e tem uma coisa: meu genro também é esquentado e também não engole desaforo. Resultado: encrenca na certa. Quando estávamos indo embora, um de nossos sobrinhos estava chegando pra ver a prima. Ele é um rapaz aplicado, mas tem um problema, ele já teve um caso com minha filha (coisa de uma noite), então, meu genro não dá certo com ele e vice-versa. Meu genro quando o viu não queria deixar ele entrar, foi preciso eu falar com os dois pra deixarem as diferenças de lado pelo menos ali. É difícil, porque meu genro tem ciúmes. Minha mulher ainda não descobriu esse casinho dos primos no passado, mas vai dar canseira quando ela descobrir. Eu pensei em contar, mas sei que ela vai com tudo pra cima da menina, porque nessas horas a culpa vai cair só nas costas dela. Sabe, eu estive pensando: acho que o fato de minha filha ter esses problemas, até um certo desequilíbrio mental (me custa aceitar isso), facilitou esses relacionamentos horríveis que ela teve no passado, ela é vulnerável, frágil, e é sem dúvida avoadinha, aérea… Não acha que tudo que ela já sofreu tanto no namoro com o rapaz, com o namoro com a moça e no casinho com o primo, tem a ver com sua condição? Ficou fácil as pessoas se aproveitarem dela e até serem agressivas com ela. Sei lá, claro que ela teve uma parcelinha de culpa, mas ela é do tipo submissa, e acho que tem a ver com seus problemas de saúde, principalmente os problemas psicológicos e psiquiátricos. Eu convidei minha filha pra almoçar na quarta-feira e conversando com ela, mesmo dando gastura, percebi que ela de fato deixa nítido que tem certa limitação, é aérea, conversando tive que repetir algumas coisas pra ela e ficar explicando pra ver se ela entendia (assuntos mais complexos ela tem dificuldade de entender). Eu me lembrei de que quando a menina era pequena, minha mãe (hoje falecida) me dizia e insistia em levar a menina pra um tratamento, eu me recusava, e não levei, acho que eu sempre fugi da realidade sobre as doenças. Minha filha demorou a aprender a falar e andar, depois ela demorou a aprender a ler e escrever (todos da turma já fazia isso e a professora até mandou um bilhete dizendo que tinha que falar com os pais). A professora na época falou que ela era muito distraída, devagar e não acompanhava os coleguinhas, não sabia ler e escrever direito. Eu achava que era normal, que era só questão de ritmo. E outro fato, a menina fazia xixi na cama até grandinha, uns 6, 7 anos. Lembro que minha mulher dava bronca na menina por causa disso, até deixá-la de castigo uma vez ela deixou. Eu cheguei do trabalho e nada da menina, fui procurá-la e a vi sentada num banquinho de castigo, quando perguntei o motivo ela falou envergonhada que era porque tinha feito xixi na cama. Eu tirei ela do castigo na hora, nunca permiti que minha mulher batesse ou desse castigo, mas de vez em quando ela botava a menina de castigo quando eu não estava. Várias vezes quase me separei de minha mulher por causa da menina. Mas eu deveria ter procurado um tratamento e não procurei, a menina foi crescendo sem tratamento. Sabe que só comecei a me dar conta disso depois que minha filha começou a namorar meu genro? Porque mesmo antes de casar, ele dizia que minha filha tinha que ser cuidada de forma especial, porque ela era frágil e etc. Eu achava uma besteira, achava que ele queria bancar o protetor por ser bem mais velho que a minha filha, mas agora vejo que ele viu o que eu nunca quis ver. E mais, ele viu que ela era assim antes de se casar e mesmo assim, não terminou com ela e se casou, a trata com carinho, proteção e o que você me disse em um de seus comentários é verdade: meu genro não tem vergonha dela, ele a trata com amor, respeito e consideração. Peço oração em favor de minha menina que está internada, pra ela se recuperar logo e também peço que ore pra que a visita do menino dê certo. Outra coisa: tem uma mulher que anda importunando minha filha, ela cismou que minha filha foi amante do marido dela, claro que não foi, mas a mulher é dessas mulherzinhas barangas barraqueiras. No dia que saí com minha filha na quarta-feira, essa mulher nos abordou para acusar minha filha, minha filha passou mal, desmaiou no carro. Ore a esse respeito, minha filha desperta ciúmes das mulheres, não é a primeira vez que uma mulher implica com ela por causa de ciúmes, minha filha é muito bonita, corpo que chama atenção, então, é tudo que outra mulher odeia. Eu sei do que estou falando, porque até a esposa de meu amigo andou implicada com minha filha, ela achou que meu amigo estava “caído” pela minha filha. Minha filha apesar de chamar atenção pela beleza, não faz a linha de “conquistadora”. Pra ser sincero acho que ela nem faz ideia de quanto é bonita e mexe com a cabeça dos homens, eu sou pai dela e a conheço, ela é meio “meninota”, compreende? Não faz a linha fatal ou vulgar, de jeito nenhum. Por isso acho que os problemas dela facilitaram todos os relacionamentos fracassados e agressivos que ela teve no passado. Agora penso nisso e acho que não estou enganado, pode me dar sua opinião sobre isso? Ore pela recuperação da menina. Fique a vontade para deletar o comentário se quiser, já que é muito extenso. Obrigado.

    Curtir

    1. Irmão, que a paz do Senhor Jesus esteja em seu coração, seu lar e na vida de sua filha, em Nome de Jesus.

      O que está feito, está feito, e não pode ser desfeito. Sua filha nasceu com deficiências e, portanto, não pode ser cobrada naquilo que não tem para dar. Nem pais, que têm o dever de incentivar os filhos, quando percebem que eles estão fazendo corpo mole ou de exortá-los quando percebem que estão agindo errado, podem cobrar algo dos filhos naquilo que os filhos não têm capacidade para tal.

      Nenhum pai exigiria de um filho de 10 anos que o mesmo carregasse um saco de cimento nas costas. Você e sua esposa podem e devem incentivar sua filha a manter-se mais em sua própria casa, a aprender a cozinhar, etc, mas sem forçá-la muito, pois ela tem limitações de nascença.

      Aliás, sua esposa, a qual você deve amar sim, pois é mandamento, não age como mãe para a filha, pois, de fato, não é mãe. Então, da mesma forma, você não pode forçá-la a agir como mãe. Ela dará amor à sobrinha, se quiser. Não por força, mas pelo Espírito Santo. A fé, assim como a apostasia, vem de dentro do coração e nunca por influência ou argumentos externos.

      Por isso, sua atuação, como chefe da família é de colocar-se na brecha a favor da esposa, pela conversão dela, pois ela é tão ou mais incapacitada que sua filha, especialmente no quesito de amor a Deus e amor ao próximo.

      Peça a Deus sabedoria para dar amor e atenção, tanto à filha, quanto à esposa, de forma que haja harmonia e paz em seu lar.

      Claro que todas essas “entregas” de sua filha a pessoas exploradoras, inescrupulosas, perversas, é decorrente, em primeiro lugar do espírito imundo que estava nela desde que a mãe faleceu e, em segundo lugar, da necessidade que ela tem de ser amada, aceita, agasalhada emocionalmente.

      O demônio já foi expulso, graças a Deus, mas a carência emocional permanece e a você, como pai, cabe ajudá-la a sentir-se amada e respeitada pela família, assim como o marido tem feito na parte que lhe toca. E isso é tão mais importante agora, irmão, nesse período de gravidez, pois todos sabemos que os bebês sofrem no útero da mãe quando ela sofre e que esse seu neto pode nascer também com deficiência, devido aos maus tratos que toda a família têm feito com ela. Isso é maldade, crueldade por parte de toda a sua família, assim como por parte da família do marido dela.

      Que Deus tenha misericórdia de todos eles, perdoe-lhes todos os pecados e não lhes impute tanta maldade que têm exalado do coração, é minha oração a favor de todos, em Nome de Jesus.

      Eu oro também e peço ao Senhor que cure sua filha de todos esses males, que a restaure e, principalmente, que abençoe esse encontro entre ela e o filho, e que o amor de Deus esteja entre todos, em Nome de Jesus.

      Curtir

  14. Me sentir triste hoje, tentei ajudar a uma família que estava em desarmonia e não consegui. Um primo que hoje é funcionário público e uma prima desempregada, ele pastor se dizia cristão e queria ajudar a ela, por outro lado ela que perdeu a mãe, avó e a tia, uma depois da outra. Ouvir ele dizer que não considerava a família como um nada (estou até agora chocada), pois o pai dele nem do sangue deles era, mas cresceram e foram criados juntos, a mãe dela por muitas vezes o alimentou e nunca pediu nada em troca. ele com ódio e raiva no coração dizia que ~ele é funcionário público e não queria ninguém em sua porta, pra ele não existia tia nem primos que ele estava a 22 anos desaparecido e iria continuar assim. Nunca vi e ouvi tanta raiva junta, ele me disse que era cristão e fiquei me perguntando o cadê Deus nestes corações, eles falaram tanto em Deus e não vi Deus hora nenhuma neles. Já passei tantas coisas ruins na vida inclusive com esta pessoa, mas nem por isso me esquivei na hora de intervi para ajuda-los, mas me arrependi, não precisava passar por esta decepção, as vezes espero muito do ser humano e nos dias atuais não estou vendo deus nos seus corações. Me dê uma palavra de consolo, até agora estou desolada com a situação que presenciei. Obrigado.

    Curtir

    1. Irmã, a fé não é de todos. Não é o exterior que mostra se a pessoa é cristã ou não, mas o que sai da boca, do coração dela. Pelos frutos é que conhecemos se a árvore é boa ou ruim.

      Para pessoas assim, nossa atitude tem que ser, em primeiro lugar, o perdão. Em seguida, a oração a favor delas. Em terceiro, ajudá-las quando surgir alguma necessidade, por menor que seja. Isso é o amor.

      Perdoe-a e ore por ela, sem cessar.

      O Senhor lhe abençoe e tire essa angústia do coração, em Nome de Jesus.

      Curtir

  15. Pastor quando era criança sempre me senti inferior as outras meninas, entao aos 12 anos comecei a ficar com os garotos, nesse um menino pediu pra gente ir no banheiro porque na escola era proibido e iamos ficar escondidos mas era apenas beijo, pois era uma criança nisso um menino viu a gente dentro do banheiro e espalhou pra escola toda que me viu fazendo sexo oral no garoto, me senti um lixo nem sabia o que era isso direito, eu desmenti e até chorei na frente deles pra pararem com essa fofoca, o menino que espalhou isso era 2 anos mais velho, acredito que fiquei até mal falada na época mas só beijava, porque era um momento de conhecer coisas novas, ai parei para refletir que aquilo não estava fazendo bem pra mim e parei de ficar com os meninos da minha escola ficava uma vez ou outra, até conheci uma menina da igreja que quis me levar só que fui pouco tempo e parei, hoje me arrependo muito porque minha vida ia ser totalmente diferente, não sou santa, tenho muitos pecados mas resolvi mudar estou com uma pessoa agora que ne faz muito feliz e amo muito ele, porém esse menino que espalhou boatos a tantos anos vi hoje na minha faculdade e me deu um mal estar, fiquei muito triste, lembrei da epoca e chorei demais, e pra me consolar procuro na biblia palavras pra mr confortarem, sei que não fiz nada mas causa uma amargura em meu coração por tudo que passei naquela época, poderia ter feito tudo diferente, ser uma pessoa melhor para meu namora hoje, pois me sinto culpada pelas coisas que aconteceram eu poderia ter me guardado. Estou muito triste, pastor você poderia falar algo para me confortar?

    Curtir

    1. O conforto que de fato você necessita, filha, é a paz que apenas Cristo pode lhe dar. Eu posso até falar algumas palavras que aliviem seu drama agora, mas logo outra coisa aparecerá em sua vida e lhe trará novas decepções, frustrações, medos, etc. “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize” (Jo 14:27).

      O melhor mesmo é você contar ao seu namorado o que aconteceu na escola, para que fique transparente para ele, pois caso esse seu antigo colega tente alguma sedução com você, você diga a ele que não faz mais aquilo e que até seu namorado já sabe de tudo. Isso vai desarmá-lo.

      Mas, filha, se você está tendo relacionamento sexual com o namorado, você está em pecado. Volte para o Senhor, se arrependa e peça perdão, se quiser ter realmente a paz de Cristo!

      Curtir

Escreva seu Comentário ou pergunta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s