Dá-me de Beber


 

Meditações de Oswald Chambers

 

“Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu”, João 20.28.

 

     “Dá-me de beber”. Quantos de nós queremos que Jesus Cristo mate nossa sede, quando deveríamos saciar a dele? Deveríamos agora estar derramando tudo de nós, esgotarmo-nos até ao limite e não tirando dele para nos saciarmos a nós ainda. “Sereis minhas testemunhas” – isso significa termos uma vida de devoção ao Senhor Jesus imaculada, inabalável e espontânea para sermos motivo de satisfação para ele onde quer que nos coloque. 

     Estejamos em estado de alerta para tudo que pretende tomar o lugar da nossa lealdade exclusiva a Jesus Cristo. Trabalhar para Cristo é o maior concorrente à nossa devoção. É mais fácil trabalhar do que deixar-se consumir totalmente por ele.

     A única meta do chamado de Deus é a satisfação divina e não levar-nos a fazer algo para ele. Não somos enviados para batalhar por Deus, mas, para sermos usados por ele em suas batalhas. Não estaremos sendo mais devotos ao serviço cristão do que ao próprio Senhor Jesus?

 

Fonte: http://www.reavivamentos.com