Recorde-se do que Deus se Lembra


 Meditações de Oswald Chambers

 

“Lembro-me… da tua afeição quando eras jovem”, Jer.2.2.

 

Estarei eu a demonstrar espontaneamente meu amor para com Deus ainda, como fiz antes, ou estou apenas naquela expectativa de que Deus mostre amor para comigo? Estará minha vida cheia das variadas provas de afeição que alegram Seu coração de todo, ou vivo me lastimando porque tudo está sendo dificultado para mim? Nunca há alegria na alma que se esqueceu daquilo que Deus preza. É maravilhoso pensar que Jesus Cristo precisa de mim – “Dá-me de beber”. Que grau de amor demonstrei para com Ele a semana passada? Tenho cuidado bem da reputação d’Ele em minha vida?

 

Deus fala ao seu povo dizendo: “Agora já não me amam, mas lembro-me ainda do tempo em que me amavam. Lembro-me… do teu amor quando eras noiva”. Sou ainda tão fervoroso na minha dedicação a Jesus Cristo quanto era no começo, quando fazia questão de dar provas da minha devoção n’Ele? Será que ele ainda me acha saboreando e recordando o tempo em que não me importava com mais nada a não ser ele? Ainda vivo assim, ou passei a ter por ele um amor mais “sensato” e “calmo”? Será que ainda o amo tanto que não me importa para onde vou? Ou ando preocupado com o respeito que me devem, com quanto de labor, apenas, devo apresentar?

 

Se, ao recordar-me do passado e aperceber-me de que o que Deus lembra a meu respeito é que ele não é mais o que costumava ser em meu coração, devo envergonhar-me e humilhar-me, porque tal vergonha produzirá a tal tristeza segundo a qual Deus opera no arrependimento.

 

Fonte: http://www.reavivamentos.com