Você Compreende o Seu Chamado?


 Meditações de Oswald Chambers

 

“Separado para o evangelho de Deus”, Rm 1.1

 

Nossa chamada não serve prioritariamente para que sejamos homens e mulheres santos, mas sim proclamadores do evangelho de Deus. O mais importante é que o evangelho de Deus seja compreendido como uma realidade permanente e constante.

 

Essa realidade não é a retidão humana, nem a santidade, nem o céu, nem o inferno, mas a redenção; e a necessidade mais vital do obreiro cristão, hoje, é interiorizar e inteirar-se acerca disso tudo. Como obreiros, temos que nos habituar à revelação de que a redenção é a nossa única realidade. A santidade pessoal é, na verdade, um efeito causa, não uma causa; e se colocarmos nossa fé na retidão humana, no efeito traduzido através da redenção, quando chegar o momento da prova, claudicaremos.

 

Paulo não disse que ele se separou, mas “Quando, porém,… aprouve (a Deus)…” Paulo não tinha um interesse doentio manifesto em seu próprio caráter exercido em seu ser. Enquanto estivermos com os olhos voltados para nossa pureza pessoal conseguida por nossos meios, nunca nos aproximaremos da realidade dessa redenção única e exclusiva.

 

Alguns obreiros fracassam porque seu maior anseio foi a pureza pessoal e não Deus. “Não me peçam para estar em contato com a dura realidade da redenção a favor da sordidez da vida humana como ela é manifesta; o que desejo é que Deus faça algo por mim, que me torne mais aceitável aos meus próprios olhos”.

 

Se é assim que pensamos, a realidade do evangelho de Deus ainda não nos tocou sequer; não existe entrega total de nosso ser a Deus. Deus não pôde ainda libertar-nos, não enquanto nosso maior interesse estiver voltado para dentro de nosso próprio caráter, exclusivamente.

 

Paulo não toma reconhecimento de si; está totalmente entregue, separado por Deus para um objetivo primordial – proclamar o evangelho de Deus, Rom.9.3.

 

Fonte: http://www.reavivamentos.com