Uma Congregação Insatisfeita


Pergunta:  

O que fazer quando não estamos mais satisfeitos com a igreja a qual congregamos e tentamos conversar com o pastor para que ele nos libere em paz e na benção e ele se nega a fazer isso? Somos obrigados a ser ovelhas de um só pastor? Eu não me sinto mais bem nesse lugar onde congrego. 

O pastor tem colocado responsabilidades em minhas mãos as quais eu ainda não estou espiritualmente capacitada para tal, entende? Tenho a impressão que ele quer alguém pastoreando a igreja para ele entende? Ele passa responsabilidades que são dele fazer para alguns entende? O que eu faço? Já tentei conversar, mas ele não me libera, não dá a benção para eu ir em paz. 

Sinto ele muito imaturo pois ainda é muito jovem diante da grande responsabilidade de pastorear. Ele age como se o ministério da igreja não existisse e a vontade dele viesse a prevalecer. Ele não consulta o conselho da Igreja sobre a aplicação dos dízimos e ofertas, nem presta conta de nada. Isso está certo? 

Sinceramente tenho dúvidas a esse respeito, pois nos dias de hoje existem muitos lobos com pele de cordeiro. Penso que isso seria atitude de um lobo e não de um pastor. O que me deixa um pouco turbada se não estou sendo pastoreada por um lobo. Entende? 

Me ajude, por favor, eu preciso de um esclarecimento de um pastor nessa hora. O que me parece é que ele só está mesmo interessado no dinheiro das ovelhas. O senhor acha certo fazer campanhas sem uma revelação divina? Acha certo fazer campanhas com o intuito de suprir as necessidades financeiras da igreja? Penso que se a Obra é de Deus as necessidades serão supridas e eu não preciso usar a fé do povo para isso, entende? 

Ah me desculpe o desabafo. Preciso de ajuda. Obrigada.  Agraciada. 

 

Resposta:  

Agraciada, o nosso pastor verdadeiro, e único, é Jesus Cristo! Devemos seguir única e exclusivamente a Palavra dele e nada na Bíblia nos obriga a permanecermos debaixo de uma liderança humana exclusivamente. 

É claro que não devemos deixar nossa congregação, a não ser por razões bem fundamentadas, principalmente se o ensino e as doutrinas pregadas não estejam segundo a Palavra de Deus, o que me parece é o caso dele, especialmente no ensino, pela prática, de se obter tudo por meio de campanhas. Se a obra é de Deus, é claro que Ele próprio irá suprir todos os recursos, sem necessidade de campanhas. Sem necessidade de esfolar as ovelhas, como você diz. 

Mas, se o peso ou cobrança for muito grande, e você não estiver suportando, pode sim, buscar outra congregação sem a bênção do pastor. Nunca, porém, brigada com ele ou com qualquer outro membro. 

Não seria o caso de você (e os demais membros da Igreja, principalmente os mais experientes na Palavra) estarem orando pelo seu pastor? Se ele é ainda inexperiente em algumas coisas, é hora dos mais velhos estarem colaborando com ele e não deixando-o. 

Orem por ele, orem pela congregação, orem pelas demais ovelhas. E, também, é claro, não deixem de manter diálogo com ele, especialmente nesses casos. Mesmo que ele tenha dificuldade em ouvir. 

Mas cuidado, filha, porque vejo em você uma certa contrariedade, não por causa de doutrina, mas sim por causa de dinheiro. E isso é amor ao dinheiro, ou segundo as palavras do próprio Senhor: avareza. 

Uma vez uma pessoa chegou a Jesus pedindo-lhe que intercedesse junto ao irmão mandando que ele repartisse a herança. Nada mais justo. Mas Jesus chamou aquele homem de avarento: “Nesse ponto, um homem que estava no meio da multidão lhe falou: Mestre, ordena a meu irmão que reparta comigo a herança. Mas Jesus lhe respondeu: Homem, quem me constituiu juiz ou partidor entre vós? Então, lhes recomendou: Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui” (Lc 12:13-15). 

O que não diria Jesus a respeito de membros da igreja que reclamam que o pastor faz o que quer com o dinheiro, legitimamente entregue a ele, pelos próprios membros? Ora, se o pastor está fazendo mau uso, é a Deus que ele terá que prestar contas. Uma vez entregue no gazofilácio, saiu da alçada dos membros. 

Claro que um pastor deve consultar a Igreja (diáconos, anciãos ou líderes) no caso de decisões importantes. Mas nem tudo é passível de consulta, porque aí a congregação não terá um andamento normal. 

Não estou isentando o seu pastor, porque não conheço mais detalhes. Mas repito: você é livre para sair, desde que seja sem mágoa. É livre também para ficar, desde que seja sem murmuração ou rebeldia. E seja num caso, seja no outro, ore. Ore pelo pastor, ore pela igreja, ore pelos membros mais fracos na fé. 

Que Deus lhe abençoe com graça e paz no coração. 

“Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima” (Hb 10:25). 

José Adelson de Noronha

Escreva seu Comentário ou pergunta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s