O Lado Infamante do Relacionamento


Meditações de Oswald Chambers

 

“Temos chegado a ser considerados lixo do mundo”, 1Cor.4.9-13

Essas palavras não são nenhum exagero. A razão por que não as aplicamos a nós que achamos ser ministros do evangelho, não é porque Paulo teria exagerado dizendo isso, mas porque nosso comprometimento é deslavado ao ponto de não nos permitirmos ser tidos como a escória deste mundo. “Preencher o que resta das aflições de Cristo”, Col.1:24, não é simples resultado de santificação pessoal, mas antes de haver sido “separado para o evangelho”.

 

“Não estranheis o fogo ardente que surge no meio de vós, destinado a provar-vos”, diz Pedro. Se estranhamos as coisas com que nos deparamos, é porque somos covardes e medrosos e o tipo de compromisso que assumimos será dos que nos quer manter afastados do lamaçal: “Não me submeterei, nem me dobrarei”. Não será preciso que o faça; você poderá ser salvo por um triz, se o quiser. Ou, então, poderá dizer: “Não me importo de ser tratado como escória do mundo, desde que o evangelho seja proclamado”.

 

O servo de Jesus Cristo é aquele que está pronto a caminhar para a morte através da realidade do evangelho de Deus. Quando alguém que se considera decente demais e se acha diante da rejeição, desprezo, baixeza, imoralidade ou mesmo diante da traição, sua reação instintiva é tão repulsiva contra esses males que seu próprio coração se fecha para com o desprezador.

 

A maravilha da realidade redentora de Deus está em que nem mesmo o pior e o mais vil pecador atingirá com dor os limites primordiais do Seu amor. O que Paulo disse não foi que Deus o separou para mostrar como poderia transformá-lo num homem notável, mas antes disse que seria “para manifestar seu Filho em mim”.

 

Fonte: www.reavivamentos.com