O Irmão Bravo


PERGUNTA 

Pastor, não entendo muito bem a seguinte passagem da Bíblia de Mateus 5:23 a 25: “Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta. Concilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele, para que não aconteça que o adversário te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao oficial, e te encerrem na prisão”. Significa que devemos pedir perdão ao nosso irmão quando pecamos contra ele ou fazer as pazes quando ele está bravo conosco?

 

RESPOSTA 

Irmão, Jesus, nesta passagem está exortando aos discípulos que tenham paz uns com os outros, como família cristã, principalmente. 

Essa passagem significa que devo perdoar ao meu irmão, se eu for o ofendido por ele e jamais imputar a ele qualquer pena, seja de ira, seja de acusação, seja de ofensa. Devo perdoá-lo mesmo que ele não reconheça que me ofendeu e nem venha pedir perdão. 

Significa também que se eu tiver sido injusto com ele, seja por ações ou palavras, como irar-se sem motivo algum, falar algo de ofensa ou difamação, mesmo que inadvertidamente, devo ir e pedir perdão a ele. Mesmo que ele já tenha me perdoado em silêncio. E assim o ministério da reconciliação opera, trazendo a paz entre a família de Deus. 

Claro que ofensas que eu tenha feito em silêncio, seja por murmuração ou xingamentos no coração, e que o irmão desconheça, essas eu devo pedir perdão apenas a Deus, pois se o trouxer a público, poderá fazer mais mal que bem. 

Resumindo: relacionamento cristão é via de mão dupla. Se eu ofendi, busco o perdão e a reconciliação com o ofendido; se fui o ofendido, eu perdoo. Porque quem não perdoa está desconsiderando o amor com que Deus o tratou, sendo ele tão pecador quanto o ofensor. 

Por isso o julgamento virá contra nós com o mesmo critério com que nós julgamos a quem nos tenha ofendido. Somos todos de igual natureza e Deus não vai usar de dois pesos e duas medidas com pessoas iguais. 

O “adversário” que a Bíblia cita no versículo 25 e com o qual devo me acertar não é o meu irmão, mas sim a Lei de Deus que irá me conduzir até o Tribunal e me acusar de não ter perdoado quando eu mesmo recebi o perdão de Deus. 

A Lei de Deus exigirá que se faça justiça contra mim, não me deixando em hipótese alguma que saia sem a devida punição, isto é, a condenação eterna. 

Que o Senhor lhe abençoe com o pleno conhecimento da maravilhosa Graça de Deus, é minha oração a seu favor, em nome de Jesus.

José Adelson de Noronha

4 opiniões sobre “O Irmão Bravo”

Escreva seu Comentário ou pergunta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s