Arquivo da tag: perdão

O Cristão Pé de Jabuticaba


“Bem aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, o seu prazer está na lei do Senhor, e na sua lei medita dia e noite. Ele é como árvore plantada junto a corrente de águas, que no devido tempo dá o seu fruto, e cuja folhagem não murcha” (Sl 1:1-3)

Visitando há poucos dias o sítio de um casal amigo, Sr. Haníbal e Da. Sônia, nas proximidades de Belo Horizonte, pude desfrutar de jabuticabas maduras, docinhas, o que motivou-me a escrever esta mensagem, que há muito estava no meu coração.

A jabuticabeira, nativa do Brasil, tem muito a ensinar-nos. Árvore de porte médio, muitos galhos que saem do tronco a pouca altura do chão e que se desdobram em pequenos ramos, os quais resistem ao peso de um homem com facilidade, sem quebrar. Dobram, se encurvam, mas não se quebram com facilidade.

Na floração é um espetáculo! A jabuticabeira reveste-se do caule às pontas de flores brancas, pequenas, perfumadas. Enxames de abelhas e pequenos insetos a visitam desde o alvorecer até o apagar da luz do dia. É um manancial generoso de néctar. E, quando caem, suas flores encobrem o chão, formando um lindo tapete branco, generosamente disponível para as formigas.

Os frutos, a princípio quase que invisíveis, começam a aparecer, grudados diretamente no tronco. Eles cobrem todo o tronco, desde o chão, até as pontas dos ramos mais finos, no alto. E tomam forma arredondada, pequenos, ainda verdes. O rijo tronco se abre em pequenos poros, gerando vida e doçura.

E, na plenitude da frutificação, quando amadurecem, mais uma vez podemos ver o quão generosa é a jabuticabeira. Ela, agora, reveste-se, do caule às pontas de pequenos frutos, pretos, doces, dulcíssimos. É um espetáculo lindo de se ver. Aves e pequenos insetos vêm saborear da sua doçura, desde o alvorecer até o apagar da luz do dia. E, quando caem, as jabuticabas encobrem o chão, formando um lindo tapete preto, mais uma vez, generosamente disponível para as formigas.

Não há pessoa que não se encante quando depara com uma jabuticabeira na sua plenitude. Seja na floração, seja na frutificação.

Mas, para que ela produza assim, com abundância e doçura, ela necessita de estar plantada junto a águas ou receber água nas suas raízes freqüentemente. Sem esta água farta, seus frutos se tornam pequenos, mirrados, pouco doces. 

 

Perdendo Para Ganhar 

Além disso, a jabuticabeira possui uma característica interessantíssima: ela descasca por si só. Seu tronco, galhos e ramos soltam a casca com facilidade. Isto é, ao mesmo tempo, mecanismo de defesa e de fortalecimento. Na perda da casca ela se fortalece. Seu cerne cresce de dentro para fora. É maravilhoso.

A jabuticabeira é uma das poucas árvores que está razoavelmente protegida da praga da erva de passarinho, uma planta parasita que, pela deposição das fezes dos passarinhos com suas sementinhas, passa de uma árvore contaminada para outra. Esta pequena semente da erva de passarinho, desenvolve raízes grudadas no tronco da nova árvore hospedeira, e, ali cresce e expande-se, abafando a hospedeira. A erva de passarinho impede a floração dos ramos, impede a frutificação, sufoca a árvore gradativamente, até matá-la.

A jabuticabeira sabe proteger-se deste mal, pois descasca com facilidade, expelindo as fezes dos passarinhos com suas sementes, em princípio inofensivas, mas  assassinas em potencial. Ela perde casca, mas não perde o viço, o vigor e o fruto no seu tempo.

E, se porventura vemos uma jabuticabeira com erva de passarinho, é porque ela está próxima demais de outra espécie de árvore, a qual foi tomada pela planta parasita, e cujos ramos foram lançados sobre a jabuticabeira. Aí ela não tem como defender-se, pois as raízes do mal estão na árvore vizinha.

 

O Cristão Pé de Jabuticaba 

O homem tem muito a aprender com a jabuticabeira, especialmente a sabedoria e a generosidade. Estar plantado junto à fonte de água viva, que é Jesus, é garantia de frutos grandes, doces e abundantes. O homem que tem suas raízes na fé em Jesus e na salvação pela Graça de Deus sempre será viçoso e frutífero a seu tempo. Muitos virão até ele e encontrarão alimento e repouso, generosamente. Muitos se admirarão vendo o espetáculo da vida cristã, mesmo no sofrimento, quando tem que ceder, perdoar, abençoar quem o persegue.

Se alguém lhe ofende ou dá prejuízo, ele perdoa. Perde a “casca”, mas não perde o fruto. Se alguém lhe persegue, difama ou calunia, ele perdoa, abençoa e intercede pela pessoa. Perde a “casca”, mas ganha cerne. Um cristão nunca deixa a amargura abafar seu viço, sua alegria pela salvação alcançada. Um cristão sabe que o que importa é o interior e não o exterior. Seu valor para Deus está no cerne. O exterior é para abençoar aos que lhe buscam.

Irmão, seja você uma jabuticabeira generosa, que faz as delícias de quem lhe procura. Solte casca e ganhe em liberdade. Perca o supérfluo para ganhar cerne espiritual. Perca para dar fruto. Fruto do Espírito Santo, que é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Perca para glorificar ao seu Criador. Seja como Jesus, que sendo Deus esvaziou-se para glorificar ao Pai. Jesus nunca reivindicou ser tratado como Senhor. Ao contrário, Ele veio como servo de todos, inclusive do mais torpe pecador.

E não ande próximo demais a quem é amargurado de espírito, pois você pode ser contaminado, mesmo perdendo todas as “cascas” possíveis.  Não deixe que a murmuração, a queixa, a lamúria tome conta do sua vida ou do seu ambiente, pois isto pode espalhar-se de forma incontrolável. Fuja do conselho dos ímpios, não pare no caminho que os pecadores fazem, nem se admire do que fazem os escarnecedores que não temem a Deus.

Busque a Palavra de Deus com grande sede, pois ela é quem vivifica sua alma. A Palavra de Deus consola, alimenta, fortalece, sustenta. A Palavra de Deus é seiva que fará com que você tenha sempre vigor, viço e abundância do fruto do Espírito Santo. Fruto doce, dulcíssimo tanto para si próprio quanto para aqueles que convivem com você, seja familiares, amigos, colegas, vizinhos.

Nunca permita que a tristeza, amargura, mágoa, inveja ou cobiça tome conta de seu coração. Seja uma jabuticabeira do pomar de Deus. Solte a casca e busque a fonte de águas vivas.

Que a graça e a paz do Senhor lhe sejam multiplicadas.

José Adelson de Noronha

Culpa e Ressentimento


José Mateus

www.reavivamentos.com

 

1) Quem tem a mestria e agilidade de enfrentar um Golias em sua vida sem medo porque vive da realidade de Deus dentro dele, nunca irá desprezar um inimigo que todos os outros considerariam insignificante porque vive sendo somente obediente a Deus. Não lhe é possível considerar qualquer inimigo da cruz como insignificante porque ele vive e reage mediante o que tem dentro dele e não mediante aquilo que vê. Qualquer inimigo de qualquer tamanho é igual para quem vive para Deus e vive de Deus. Nenhum inimigo é insignificante ou menor e nenhum é mais significativo que o outro.

2) Se aquele que espera em Deus renova as suas forças a longo prazo através dessa esperança (Is.40:31), imagine-se todo aquele que consegue esperar de Deus uma coisa no próprio momento que espera, naquele instante! Esse renovar-se-á ainda mais rapidamente e evitará adormecer como uma virgem tola! Se essa esperança for real, simples e pessoal, isto é, se for realmente operada por Jesus e não pelos desejos do próprio, não terá como ser defraudada. “E a esperança não desaponta, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado”, Rom.5:5.

3) O ressentimento é aquilo que guardamos contra outras pessoas; a culpa será aquilo que guardamos contra nós mesmos. Tanto uma coisa como outra estão erradas perto de Deus após Ele haver pronunciado nosso perdão e a libertação dos que mantemos cativos em nossa raiva e pensamentos. Se Jesus cuida de nós e se nos perdoou, o ressentimento e a culpa de pecado perdoado é pecado com o mesmo grau de gravidade. Não nos devemos ressentir contra ninguém, nem contra nós mesmos e a culpa é ressentimento contra nós mesmos. Quem se culpa em demasia depois de haver sido perdoado, não busca perdão, mas, atenção.

O Irmão Bravo


PERGUNTA 

Pastor, não entendo muito bem a seguinte passagem da Bíblia de Mateus 5:23 a 25: “Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar, e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta. Concilia-te depressa com o teu adversário, enquanto estás no caminho com ele, para que não aconteça que o adversário te entregue ao juiz, e o juiz te entregue ao oficial, e te encerrem na prisão”. Significa que devemos pedir perdão ao nosso irmão quando pecamos contra ele ou fazer as pazes quando ele está bravo conosco?

 

RESPOSTA 

Irmão, Jesus, nesta passagem está exortando aos discípulos que tenham paz uns com os outros, como família cristã, principalmente. 

Essa passagem significa que devo perdoar ao meu irmão, se eu for o ofendido por ele e jamais imputar a ele qualquer pena, seja de ira, seja de acusação, seja de ofensa. Devo perdoá-lo mesmo que ele não reconheça que me ofendeu e nem venha pedir perdão. 

Significa também que se eu tiver sido injusto com ele, seja por ações ou palavras, como irar-se sem motivo algum, falar algo de ofensa ou difamação, mesmo que inadvertidamente, devo ir e pedir perdão a ele. Mesmo que ele já tenha me perdoado em silêncio. E assim o ministério da reconciliação opera, trazendo a paz entre a família de Deus. 

Claro que ofensas que eu tenha feito em silêncio, seja por murmuração ou xingamentos no coração, e que o irmão desconheça, essas eu devo pedir perdão apenas a Deus, pois se o trouxer a público, poderá fazer mais mal que bem. 

Resumindo: relacionamento cristão é via de mão dupla. Se eu ofendi, busco o perdão e a reconciliação com o ofendido; se fui o ofendido, eu perdoo. Porque quem não perdoa está desconsiderando o amor com que Deus o tratou, sendo ele tão pecador quanto o ofensor. 

Por isso o julgamento virá contra nós com o mesmo critério com que nós julgamos a quem nos tenha ofendido. Somos todos de igual natureza e Deus não vai usar de dois pesos e duas medidas com pessoas iguais. 

O “adversário” que a Bíblia cita no versículo 25 e com o qual devo me acertar não é o meu irmão, mas sim a Lei de Deus que irá me conduzir até o Tribunal e me acusar de não ter perdoado quando eu mesmo recebi o perdão de Deus. 

A Lei de Deus exigirá que se faça justiça contra mim, não me deixando em hipótese alguma que saia sem a devida punição, isto é, a condenação eterna. 

Que o Senhor lhe abençoe com o pleno conhecimento da maravilhosa Graça de Deus, é minha oração a seu favor, em nome de Jesus.

José Adelson de Noronha

Perdão e Reconciliação


PERGUNTA 

Pastor, tenho passado uma situação muito difícil, preciso muito de seu aconselhamento. Sou noiva e somos da mesma igreja. Ele é um rapaz maravilhoso, em todos os sentidos, busca ao Senhor, é muito atencioso comigo, quer sempre estar ao meu lado, sempre me fez e faz muito bem, todos ficam pasmos diante do homem que ele é comigo. É um ótimo filho pra mãe e também trabalha muito na igreja. Além do mais, o maior sonho dele é ter sua família, casar comigo, e insiste muito nisso, afirma sempre que o casamento é um propósito de Deus. Só que, apesar disso tudo, acredite, descobri que ele me traiu, ele quase vai parar no hospital, sofreu muito, e dei uma segunda chance, sendo que depois soube de outra traição que ele também não me contou, dessa vez ele sofreu ainda mais, se abateu muito com o fim do noivado, tínhamos tudo pronto para casar. Dessa vez que terminamos recebi uma revelação de uma mulher, e outra no mesmo culto confirmou, de que ele não era o que Deus tinha pra mim, que Deus conhecia o coração dele e estava me dando um livramento, que se eu insistisse ia sofrer. Essa segunda vez que voltamos fez com que nos voltássemos intensamente para Deus, para fazer mais a obra dele juntos, um apoiando ao outro. Temos buscado ao Senhor incessantemente, pois nas palavras dele, demos muita brecha para o inimigo (especialmente ele), e não andávamos fazendo a vontade do Senhor com afinco e dedicação, por isso passamos por essas provas. Hoje voltamos, mas essa segunda mulher é louca por ele, quer me derrubar a todo custo. Às vezes acho que o inimigo faz uso dela desde o inicio do namoro para nos desestabilizar. Ele é um homem maravilhoso pra mim, mas tenho muito medo de ser traída novamente, pois sofri como nem posso descrever aqui. Quero que dê certo, estou tentando novamente, mas estou com medo de casar, pois estou com muito medo dessa revelação ser verdade, e de insistir em algo e sofrer muito lá na frente, tenho medo de estar indo contra o que Deus me alertou. Tem horas que fico confusa se o inimigo usou essas pessoas pra nos desestabilizar porque sabe que somos um casal voltado pra o Senhor, e queremos formar uma família baseada em Deus, ou se realmente Deus me mostrou essas traições pra me alertar e pra que eu me afaste. Gostaria de sua opinião sobre tudo isso, especialmente sobre essa revelação. A paz.

 

RESPOSTA 

Irmã, eu prefiro viver e acreditar na Bíblia Sagrada do que no que as pessoas dizem, em especial, nesse tipo de “profecias” que irmãs na congregação costumam proferir. Jesus também vivia pelo que estava Escrito e venceu o mundo usando a Palavra. Jesus sabia que não podia confiar nas pessoas, pois Ele conhecia o coração humano. 

Está escrito que todos pecaram e que não há um único justo na face da terra. Está escrito também que o Senhor pagou pelos pecados da humanidade e deseja que todos se reconciliem com o Pai. 

Seu noivo foi fraco sim, mas se ele tiver uma esposa abençoada e abençoadora, ele pode ser um grande homem de Deus. Se ele tiver um lar que seja ancoradouro seguro no final do dia, ele poderá ter paz no coração. Se ele tiver um relacionamento conjugal que atenda às suas necessidades de homem, ele poderá ser fortalecido das lutas diárias contra o pecado. 

Irmã, o perdão e a reconciliação são armas de Deus em nossas mãos, para que sejamos vitoriosos contra as armadilhas de satanás. Não despreze o amor de um homem que sofre com o pecado, que sofre com a fraqueza da carne mas que se arrepende, pede perdão e deseja a todo o custo amar e servir ao Senhor, não apenas sozinho, mas com a esposa e filhos. 

Pondere, perdoe e ajude seu noivo a ter alegria e esperança. Da esperança vem a motivação e da motivação o sucesso do lar, da família, do ministério. E, da Graça, a vida eterna. 

O Senhor te abençoe e conceda sabedoria para lidar com as “revelações” e “profecias” é minha oração a seu favor, em nome de Jesus. Oro também para que seu noivo seja firme contra o mal e que seja um homem de Deus, temente ao Senhor em toda a sua vida.

José Adelson de Noronha

Mágoa Entre Irmãs


PERGUNTA 

Pastor, boa noite e a paz de Cristo.

Estou vivendo um conflito. A minha mãe e as minhas tias, irmãs dela e todas idosas, ao longo do passado, tornaram-se inimigas. Mas no começo, quando eu era crianças, lembro de uma que gostava muito e que é minha madrinha de batismo. Sei que ela foi ausente e nos abandonou na hora em que mais precisávamos, que foi quando minha mãe se separou, adoeceu, ficou com poucos recursos e duas filhas pequenas para criar, sendo eu uma delas. O fato é que, agora que estou com 41 anos, sinto vontade, não sei se por imaturidade, de que minha mãe e as irmãs fizessem as pazes. Às vezes ligo para minhas tias e elas me tratam bem. Quando conto à minha mãe, ela fica muito magoada comigo e eu fico com um sentimento de culpa. Eu sinto falta de família unida. O que fazer? Abraço, Araci

 

RESPOSTA 

Irmã, realmente é uma situação difícil, pois você quer praticar o amor, mas não quer magoar a mãe. Na verdade você está corretíssima e sua mãe está errada. 

Suas tias podem ter errado em não amparar sua mãe e vocês, mas isso não dá o direito à sua mãe de guardar mágoa contra elas, pois Jesus perdoou sua mãe lá na cruz do Calvário. Sua mãe não está praticando o ensino de Jesus que é perdoar a todo o que nos tem ofendido, para que sejamos perdoados por Deus. 

Outra coisa que sua mãe não percebeu até hoje foi que, na falta do apoio das irmãs, Deus pôde agir na vida de vocês, no momento em que mais precisaram. Essa falta de apoio de pessoas pôde revelar o amor de Deus de forma real. Tanto é verdade que vocês estão vivas hoje e foram supridas em suas necessidades básicas. 

Sua mãe deveria ser grata às irmãs, por permitir que Deus agisse de maneira tão maravilhosa, suprindo e sustentando vocês. Aliás, Ele sempre supre nossas necessidades e, na maioria das vezes não vemos o agir dele, exatamente porque pessoas se interpõem entre nós e Ele. 

Filha, sua mãe pode decidir-se a guardar mágoa (embora não deva, para não ser condenada), mas quanto a você, não guarde mágoa, rancor ou tristeza no coração contra ninguém. Se ainda houver alguma mágoa, perdoe hoje mesmo e quando tiver vontade de falar com sua madrinha ou tias, procure-as. 

Quem sabe um dia esse mal não será quebrado em sua família e a paz não voltará a reinar entre elas? Ore sempre pela sua mãe e tias, assim como pela sua irmã também. Que a graça e a paz do Senhor Jesus esteja em seu coração, em seu lar, em sua família. 

José Adelson de Noronha